Soja despenca em Chicago após números do USDA para estoques e área nos EUA

Publicado em 30/06/2014 14:22 1358 exibições

Os números trazidos pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) no início da tarde desta segunda-feira (30) vêm derrubando o mercado da soja na Bolsa de Chicago. Por volta das 13h40 (horário de Brasília), os vencimentos mais negociados perdiam mais de 50 pontos e já se aproximavam do limite de baixa nos contratos de mais longo prazo. 

Assim, os futuros da oleaginosa recuam para o menor patamar em três meses no mercado internacional. O vencimento agosto/14 era cotado a US$ 13,21 por bushel, com queda de 56,25 pontos. Já o novembro/14, referência para a safra norte-americana, perdia 60,6 pontos e era negociado a US$ 11,67, já perdendo o patamar dos US$ 12 por bushel. 

Os dois mais importantes e esperados números para a soja vieram bem acima das expectativas do mercado. Enquanto os traders apostavam em estoques trimestrais entre 10,6 e 10,4 milhões de toneladas em 1º de junho, o número do USDA foi de 11,02 milhões de toneladas, mesmo frente a um cenário de extremo ajuste entre a oferta e demanda. 

Antes desses números, porém, o departamento norte-americano já havia reportado o boletim de embarques semanais dos EUA, trazendo um volume de soja em 72,804 mil toneladas. Houve um aumento em relação aos números da semana anterior - de 61,919 mil toneladas - e esse montante elevou o total acumulado no ano a 42.597,860 milhões de toneladas, frente à projeção do USDA para a temporada de 43,55 milhões.

Apesar desses números, já há um quadro conhecido pelo mercado e que já vem sendo relatado por analistas e participantes dos negócios, de uma severa escassez de produto nos EUA por conta da demanda ainda muito aquecida, tanto para exportações quanto interna, o que vinha mantendo importante suporte para as cotações no curto prazo. 

Essas informações novas já causaram mudanças também nos gráficos do mercado. Segundo análises técnicas, que são baseadas no comportamento dos preços em gráficos, a nova resistência para o vencimento julho é o valor de US$ 13,60, ou seja, ao perder esse patamar, novas baixas podem ser desencadeadas. "Se o mercado perder os US$ 13,60 vai buscar os US$ 13,00 e perdendo essa casa, busca os US$ 12,50", explicou Antõnio Domiciano, consultor e analista da SmartQuant Fundos de Investimentos. 

Safra Nova 

Além dos estoques acima do esperado, a área estimada para ser cultivada com soja na próxima safra também veio muito acima das expectativas e surpreenderam expressivamente os traders. O USDA reportou a área em 34,2 milhões de hectares, ficando bem acima das expectativas do mercado, que eram de 33,5 milhões de hectares e das estimativas reportadas em março, de 32,98 milhões. Além disso, o número ficou bem acima do registrado na safra 2013/14, de 30,96 milhões de hectares cultivados com soja. 

Segundo analistas, caso essa área recorde se concretize e as condições climáticas permaneçam favoráveis como têm se mostrado nas últimas semanas, a nova safra de soja dos EUA poderá superas as 100 milhões de toneladas na temporada 2014/15. O mercado espera, no entanto, informações sobre um possível abandono de área ou de troca de cultura por conta do excesso de chuvas dos últimos dias, que causou inundações em muitas regiões produtoras. Esses dados, no entanto, só serão conhecidos mais adiante e, ainda de acordo com analistas, não deverão causar um impacto muito expressivo sobre a direção dos negócios. 

"Nem mesmo o mais otimista esperava uma área superior a 34 milhões de hectares para a soja nos EUA", afirma o economista e analista de mercado da Granoeste Corretora, Camilo Motter. Esses números do USDA já reduziram, inclusive, o número de contratos negociados no vencimento referência para a safra americana - novembro/14. De manhã, por volta das 10h30 (Brasília), eram mais de 300 mil e, no depois da divulgação do relatório, esse número caiu para pouco mais de 148 mil. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário