Em Chicago, soja opera na defensiva à espera dos números do USDA

Publicado em 11/08/2014 13:09 1961 exibições

As boas notícias sobre a demanda continuam estimulando o mercado internacional da soja no curto prazo nesta segunda-feira (11). Além disso, a proximidade do vencimento do contrato agosto/14 - no dia 15 - também favorecem a forte alta na sessão regular de hoje na Bolsa de Chicago. Por volta de 12h30 (horário de Brasília), esse vencimento subia mais de 50 pontos, enquanto o setembro tinha alta de 3 pontos, cotado a US$ 11,16 por bushel. 

O contrato setembro é, portanto, o vencimento mais próximo que se mostra como referência para os negócios e, no porto de Paranaguá, já apresenta um prêmio de US$ 2,50 sobre o valor praticado em Chicago. Dessa forma, o preço da soja nos portos brasileiros segue com uma referência de cerca de R$ 67,00 por saca. No Golfo do México, por exemplo, terminal de referência para os negócios de exportação da soja norte-americana, esse prêmio fica na casa dos US$ 1,67. 

Nesta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe o anúncio de uma venda de 168 mil toneladas de soja da safra nova dos EUA e mais seu boletim de embarques semanais. Na semana que terminou em 7 de agosto, os Estados Unidos embarcaram pouco mais de 98 mil toneladas. O número ficou acima do registrado na semana anterior, de 39,256 mil, e elevou o acumulado no ano a 43.160,611 milhões de toneladas, contra 35.464,128 milhões da safra anterior e frente à última projeção do USDA para as exportações da safra 2013/14 de 44,09 milhões de toneladas. 

As informações, segundo analistas, vêm confirmar a força da demanda e a relação apertada entre os estoques norte-americanos da safra 2013/14 frente a um consumo mundial bastante aquecido. No boletim mensal de oferta e demanda de julho, o USDA estimou os estoques finais norte-americanos em 3,84 milhões de toneladas e as expectativas do mercado é de que, no relatório de agosto, que será divulgado amanhã, esse número fique entre 3,4 milhões e 3,86 milhões de toneladas. 

Por outro lado, os vencimentos mais distantes seguem pressionados pelas boas expectativas para a nova safra norte-americana. As previsões climáticas são favoráveis para as próximas semanas, as lavouras se desenvolvem bem e o esperado é que a produtividade passe, nessa temporada, das 50 sacas por hectare. Há expectativas para a colheita dos EUA que variam de 103 a 105 milhões de toneladas até esse momento. 

No final da tarde de hoje, o USDA traz mais um boletim de acompanhamento de safras e o mercado também acredita na manutenção do índice de lavouras em boas ou excelentes condições na casa dos 70% ou próximo disso em função, justamente, das boas condições de clima registradas até o momento. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário