Soja: Dados sobre área nos EUA acentuam volatilidade na CBOT

Publicado em 16/09/2014 13:29 1991 exibições

O mercado internacional da soja opera com volatilidade nesta terça-feira (16). Por volta de 12h40 (horário de Brasília), na sessão regular da Bolsa de Chicago, os vencimentos mais negociados caíam de 7,50 a 8,75 pontos e voltavam a operar abaixo dos US$ 10,00 por bushel. Mais cedo, as cotações chegaram a exibir uma recuperação, subindo mais de 9 pontos. 

Dados sobre a área plantada nos Estados Unidos e a solicitação de seguros para áreas que não puderam ser cultivadas chegaram ao mercado nesta terça e mexeram com o humor do mercado. Os números trazidos pelo Farm Service Agency (FSA) - órgão do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) para os dados sobre área no país - ficaram abaixo do esperado pelo mercado, indicando uma área plantada ainda bastante grande. 

A última estimativa do USDA para a área plantada nesta safra foi de 34,32 milhões de hectares em seu último boletim de oferta e demanda divulgado no último dia 11. Desse total, 96,2% trabalha com seguro, ou seja, 33,04 milhões de hectares. 

Assim, segundo os últimos números do FSA, os produtores solicitaram o seguro para 340,39 mil hectares por não os terem cultivado, o que reduziu a área plantada com seguro, portanto, para 32,7 milhões de hectares. A expectativa do mercado para essa área não plantada, porém, era de 400 mil hectares. 

E foram esses números que fizeram com que as perdas se acentuassem na Bolsa de Chicago no pregão desta terça-feira. Além disso, segundo explicou o consultor de mercado Ricardo Stasinski, da ODS Serviços em Agronegócio, não há fatores que possam estimular ganhos consistentes para os preços nesses momento. 

"O mercado não conta com notícias novas e impactantes que fundamentem um movimento forte para cima e para baixo e, por isso, trabalha de forma mais especulativa do que baseado em fundamentos nesse momento", explicou o consultor. 

Confirmando esse quadro, ontem, o USDA trouxe um novo boletim de acompanhamento de safras e manteve o índice de lavouras de soja em boas ou excelentes condições em 72%, mesmo número da semana anterior. 

Geada nos EUA

Sobre o frio nos Estados Unidos e a ameaça de geadas no Meio-Oeste americano, as especulações começam a ganhar força. Porém, as informações ainda são divergentes. 

No último final de semana geou em alguns dos principais estados produtores de grãos do Corn Belt e trouxe, para uns, grande preocupação e para outros, nem tanto. O presidente de uma consultoria em Omaha, Nebraska, afirma que "houve algum dano e os produtores poderão ter grãos menores de soja e alguns com menor percentual de óleo". 

Por outro lado, o Commodity Weather Group, importante instituto meteorológico dos EUA, informou em nota que "embora algumas geadas leves tenham atingido o noroeste do Meio-Oeste, o frio foi bem menos intenso do que o que vinha sendo indicado na semana passada. Dessa forma, as possíveis perdas para a soja e para o milho continuam sendo mínimas, em toda a região, por enquanto".  

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário