Clima atrapalha colheita nos EUA, plantio no Brasil e soja avança

Publicado em 13/10/2014 13:25 2983 exibições

Os mercados interno e internacional da soja se focam, novamente, às notícias sobre as adversidades climáticas que seguem sendo observadas tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil. No Meio-Oeste norte-americano, a colheita está atrasada em função do excesso de chuvas das últimas semanas e, no Brasil, os trabalhos de plantio não se desenvolvem por conta de uma seca prolongada, principalmente nos estados do Centro-Oeste do país. 

Dessa forma, na sessão desta segunda-feira (13), os futuros da soja operam em campo positivo e, no início da tarde, ampliavam os ganhos registrados na Bolsa de Chicago. Por volta de 13h30 (horário de Brasília), os principais vencimentos trabalhavam com altas de mais de 14 pontos, apesar das perspectivas de uma grande safra vinda dos Estados Unidos. 

Excesso de chuvas nos EUA

O final de semana foi de chuvas excessivas no Corn Belt e a semana também começou bastante úmida na principal região produtora de grãos do país. O cenário significa, portanto, mais atrasos para a colheita da safra 2014/15 tanto para a soja quanto para o milho, bem como para o plantio da nova temporada de trigo no país. 

"As chuvas deverão ser pesadas e generalizadas em todo o Meio-Oeste, um pouco menos intensas nas regiões do noroeste nesta segunda e terça-feiras, o que irá paralisar as colheitas de soja e milho", disse o agrometeorologista sênior do MDA Weather Services Kyle Tapley. 

EUA - Radar 13.10.2014

Imagem de Radar - EUA - Chuvas fortes no Meio-Oeste - Fonte: AccuWeather

EUA Radar - Illinois - 13.10.2014

Imagem de Radar - EUA/Illinois - Chuvas fortes - Fonte: Farm Futures + Google

De acordo com o meteorologista do instituto Freese-Notis Weather, Inc., Wayne Ellis, o terço mais a oeste do Corn Belt deverá estar menos úmido no final desta terça-feira (14), porém, as chuvas continuarão atingindo as áreas centro e leste até quinta (16) e sexta-feira (17). 

"As chuvas mais pesadas serão registradas nas áreas centro e sudeste do Meio-Oeste. Nos próximos cinco dias, as precipitações deverão totalizar de 25,40 a 76,20 mm, com algumas áreas isoladas podendo receber até mais do que isso. As demais regiões, mais a o oeste e noroeste, deverão receber até 25,4 mm" explica Ellis. 

Complementando o quadro adverso, essas chuvas excessivas são acompanhadas de baixas temperaturas. No último sábado, as mínimas desceram para zero grau no nordeste de Nebraska, norte de Iowa em quase todo o sul de Wisconsin . "Quase toda a região norte do Corn Belt ficou sob temperaturas congelantes no final de semana", disse o meteorologista da Freese-Notis Weather, Inc.

Completando, Kyle Tapley afirma que "as geadas foram mais esparsas que o esperado neste último final de semana no centro de Iowa e Michigan e no sul de Wisconsin, mas, o clima um pouco mais quente esta semana deve limitar a ameaça dessas geadas".

Previsões mais distantes - As previsões para os próximos sete dias indicam que enquanto o clima excessivamente úmido e chuvoso limitou a colheita na região sul do Corn Belt na última semana, agora as chuvas se movem para o leste. Para as próximas semanas, no entanto, na segunda quinzena de outubro, esse quadro deve mudar e as chuvas devem ser menos intensas e, aos poucos, irem se dissipando, permitindo a retomada dos trabalhos de campo no Corn Belt. Veja abaixo os mapas do NOAA para as próximas semanas:

Chuvas nos EUA - 18 a 22 de outubro - Fonte: NOAA

Chuvas nos EUA - 18 a 22 de outubro - Fonte: NOAA

Chuvas nos EUA - 20 a 26 de outubro - Fonte: NOAA

Chuvas nos EUA - 20 a 26 de outubro - Fonte: NOAA

 

No Brasil, clima segue irregular

No Brasil, o clima segue irregular e comprometendo um avanço mais significativo do plantio. No Centro-Oeste, os trabalhos de campo estão parados por conta da falta de chuvas e as previsões continuam indicando uma semana ainda muito quente e seca no país. 

Segundo o boletim semanal da Climatempo, "estamos sob influência de uma grande e forte massa de ar seco, que está atuando como um bloqueio atmosférico. Isso impede a formação de nuvens de chuva e a entrada de frentes frias no País.  A chuva vai continuar concentrada em poucas áreas nas regiões norte e sul do Brasil (...)  No sul e leste gaúchos, há inclusive risco de temporais".

Chuva acumulada entre 14 e 18 de outubro

Baixo acumulado de chuvas para todo o Brasil - Fonte: Climatempo

Por conta disso, as temperaturas em boa parte do Centro-Oeste do Brasil, principal região produtora de soja, devem registrar médias bastante elevadas. O calor deverá ser intenso e bater perto dos 40°C. 

Média da temperatura máxima para a 1ª pêntada

Média de Temperaturas - Fonte: Climatempo

De acordo com Ana Maria Heuminski, meteorologista do Cepagri, a chegada das chuvas deve ficar ainda mais atrasada, prevista para os dias 20 e 21 de outubro, primeiramente nos estados de São Paulo e Minas Gerais. 

"Essas chuvas devem chegar no dia 21 no estado de São Paulo e atingir toda a região central do país, ou seja, esse quadro de baixa umidade que temos observado nos últimos dias deve mudar a partir desse dia, com essas precipitações chegando da região Amazônica", explica Ana Maria. "Essa umidade da região Amazônica precisa se espalhar e as chuvas regionalizadas deverão se generalizar", completa. 

Com informações do site FarmFutures, Agriculture.com, NOAA e Climatempo

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário