Soja retoma força, foca no farelo e opera com boas altas em Chicago

Publicado em 13/11/2014 12:26 651 exibições

Os preços da soja retomaram a força na Bolsa de Chicago e voltaram a subir expressivamente na sessão desta quinta-feira (13). Depois de começar o dia com os negócios mais calmos, por volta das 13h10 (horário de Brasília), os principais vencimentos subiam mais de 16 pontos e o contrato janeiro batia nos US$ 10,64. Ao mesmo tempo, os preços do farelo também subiam bem em Chicago, com gahos de 6 a 10 pontos nas posições mais negociadas. 

Segundo explicou o analista de mercado Eduardo Vanin, da Agrinvest, o momento de força e firmeza para o mercado do farelo é o que tem sustentado os ganhos do complexo soja na Bolsa de Chicago. A demanda pelo subproduto da oleaginosa nos Estados Unidos está muito aquecida, a capacidade de esmagamento do país está completamente tomada e, ao mesmo tempo, a estrutura logística tem sido insuficiente para que a distribuição do derivado aconteça de forma adequada e dentro da necessidades dos compradores. 

Ontem, o mercado foi pressionado pelos rumores de que os Estados Unidos teriam importado alguns cargos de farelo da Argentina diante dos elevados preços do produto internamente, os quais estariam viabilizando as compras externas. "Os preços do farelo é o que tem suportados os preços do complexo soja e o ponto em que o mercado tem que trabalhar agora é na migração da demanda, pelo menos na exportação, dos EUA para outros esmagadores, a exemplo do Brasil e da Argentina", acredita Vanin. 

Além das já conhecidas notícias sobre a demanda, os investidores observam agora as previsões climáticas indicando um inverno bastante rigoroso nos Estados Unidos, o que deverá impulsionar a demanda por alimentaçã animal no país. 

Uma massa de ar ártico trará as temperaturas para 40 graus a menos do que o normal para as regiões centro e norte dos EUA esta semana, de acordo com o Serviço Nacional de Clima do país. Dessa forma, os animais que seguem para o confinamento irão necessitar de mais energia para se manterem aquecidos, o que deverá fazer com que os produtores, principalmente os granjeiros, aumentem seus estoques de ração - que tem como base o farelo de soja e milho. 

Além disso, o mercado aguarda ainda pelo novo boletim semanal de vendas para exportação que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga somente nesta sexta-feira (14), já que foi adiado de hoje para amanhã, em função de um feriado nos EUA na próxima segunda, dia 17 de novembro. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário