Soja: Mercado realiza lucros, mas se mantém acima dos US$ 10,30 na CBOT

Publicado em 14/11/2014 12:40 436 exibições

Nesta sexta-feira (14), os futuros da soja seguem trabalhando em campo negativo na Bolsa de Chicago e, por volta das 13h (horário de Brasília), as posições mais negociadas perdiam entre 12,25 e 15 pontos, com o contrato janeiro valendo US$ 10,38 por bushel. 

Segundo analistas, o movimento intenso de realização de lucros continua depois de uma semana agitada, com os preços buscando uma acomodação, principalmente se aproximando do patamar de suporte para as cotações, que têm variado entre US$ 10,30 e US$ 10,50. O que confirma, portanto, que o mercado continua operando de forma bastante técnica, uma vez que os fundamentos não apresentam qualquer novidade que estimule um movimento mais acentuado das cotações. 

No Brasil, a nova alta que vem sendo registrada pelo dólar tem amenizado as perdas em Chicago para os preços da soja nos portos. No terminal de Rio Grande, o preço tem se mantido na casa dos R$ 64,50 por saca para o produto com entrega em maio/15. Os prêmios por lá seguem positivos, com 86 centavos de dólar para o vencimento janeiro  sobre o valor praticado em Chicago, 62 cents para março/15 e 33 para as posições abril e maio/15. No porto de Rio Grande, a saca da soja da safra nova também tenta manter patamares importantes e trabalha entre R$ 65,00 e R$ 65,50. 

Além disso, apesar de ainda fortes, as vendas semanais para exportação de soja dos Estados Unidos ficaram ligeiramente abaixo do que o mercado esperava e menores do que o volume da semana anterior. As vendas na semana que terminou em 6 de novembro somaram 1.074,3 milhão de toneladas, contra 1.609,8 milhão da semana anterior. As expectativas variavam entre 1,1 e 1,3 milhão de toneladas. 

No acumulado da temporada comercial 2014/15, as vendas já totalizam 36.719,6 milhões de toneladas, ou 82% do total da última estimativa do USDA para as exportações do país de 46,81 milhões de toneladas. A China, como tradicionalmente acontece, foi o principal destino da oleaginosa dos EUA, respondendo por 733 mil toneladas do total. O USDA informou ainda que 400 mil toneladas da nova safra foram vendidas também na mesma semana. 

No caso do farelo de soja, as vendas da safra 2014/15 ficaram em 21,3 mil toneladas e as da safra 2015/16 em 18,3 mil toneladas, enquanto as expectativas do mercado para a temporada corrente variavam de um cancelamento de 100 mil toneladas até novas vendas que pudessem chegar a 100 mil. Dessa forma, se confirma a situação de uma demanda ainda muito aquecida pelo derivado nos Estados Unidos, inclusive para exportação. Na semana anterior, houve um cancelamento na safra 14/15 de 123,7 mil toneladas. Com isso, as vendas para exportação acumuladas no ano comercial 2014/15, que começou em 1º de outubro, já somam 6,291 milhões de toneladas frente à estimativa do USDA de 10,89 milhões. 

As vendas semanais de óleo de soja ficaram ligeiramente acima do número da semana anterior - 13,6 mil toneladas - para totalizarem 15,6 mil toneladas na semana que terminou no último dia 6. Das 950 mil toneladas estimadas pelo USDA para serem exportadas em 2014/15, 267,5 mil já estão comprometidas.

China - Ainda nesta sexta-feira, o USDA anunciou ainda uma nova venda de soja para a China de 180 mil toneladas com embarque para a safra 2014/15. Em seu último boletim semanal de vendas para exportação divulgado nesta sexta-feira, o USDA mostrou que, até o último dia 6, as vendas de soja dos EUA para a China já estavam em cerca de 13,97 milhões de toneladas. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário