Soja: Mercado disponível tem dia de boas altas no Brasil nesta 5ª feira

Publicado em 27/11/2014 17:18 483 exibições

Apesar de um dia de poucos negócios no Brasil sem a referência dos preços da Bolsa de Chicago, os preços da soja apresentaram uma oscilação expressiva na maioria das principais praças de comercialização no interior do país. De acordo com um levantamento feito pelo Notícias Agrícolas junto às cooperativas e sindicatos rurais, as cotações chegaram a subir mais de 3% em algumas regiões. 

Em Tangará da Serra/MT, o preço subiu 3,64% para R$ 57,00 por saca e 3,70% em Campo Novo do Parecis para R$ 56,00. Em São Gabriel do Oeste, Mato Grosso do Sul, ganho de 3,51% para R$ 59,00; de 2,42% em Luís Eduardo Magalhães/BA, para R$ 59,20. Em Jataí/GO, o mercado também subiu, mas registrou uma alta mais tímida - de 0,19% - para R$ 53,00 por saca. Em Não-Me-Toque, no RS, e em Londrina, no PR, a cotação em ambas as praças recuou 0,85% para R$ 58,00. Já em Ubiratã e Cascavel, também no Paraná, o preço ficou estável em R$ 58,00. 

O dólar fechou o dia em campo positivo nesta quinta-feira (27) e contribui para esse ganho das cotações. A moeda norte-americana terminou o dia com alta de 0,9% a R$ 2,52 depois de um dia de pouca movimentação como mercado esperando o  anúncio da nova equipe econômica da presidente Dilma Rousseff. Em entrevista coletiva após a divulgação, Alexandre Tombini, que segue no comando do Banco Central, indicou que o programa de swap cambial não deve crescer. 

"O BC não vê problema em ficar vendido em 100 bilhões de dólares, mas parece que não tem disposição para aumentar essa posição. Isso significa que vai ter que diminuir bastante a atuação", disse o estrategista da corretora Coinvalores Paulo Celso Nepomuceno à agência Reuters. 

Leia mais:

>> Dólar sobe 0,9% ante real após Tombini indicar que programa de swap não crescerá

No entanto, outro fator que ainda dá força e suporte às cotações da soja no mercado disponível brasileiro é a demanda interna, segundo explicou Vlamir Brandalizze. O consultor da Brandalizze Consulting informou que, nesta quinta, os pontuais negócios que foram efetivados se deram, em sua maioria, com indústrias de biodiesel e rações. 

Comercialização - Quase toda a safra 2013/14 do Brasil já foi comercializada, porém, os negócios com da temporada seguem atrasados em relação aos anos anteriores. A comercialização da safra 2014/15, ainda segundo Brandalizze, se aproxima de algo entre 30 e 35% quando 'deveria' estar perto de 45% nessa época. 

Desse total, no entanto, aproximadamente 25% da soja da safra nova foram negociados nas últimas seis semanas, quando o mercado registrou bons rallies na Bolsa de Chicago, os prêmios nos portos estavam entre 50 e 90 centavos de dólar positivos sobre os valores do mercado internacional e alguns negócios chegaram a bater nos R$ 69,00 no porto de Rio Grande, registrando o melhor momento da temporada. 

"50% do volume desses 25% negociados nas últimas semanas foram negócios que conseguiram preços entre R$ 67,00 e R$ 69,00 nos portos", explica Brandalizze. Porém, nessa semana, os preços vêm oscilando entre R$ 63,00 e R$ 65,00, com os prêmios para as posições abril e maio/15 em Paranaguá de 48 centavos de dólar. 

Nesta quinta-feira, os preços da soja nos portos permaneceram estáveis em R$ 63,00 no terminal paranaense, e em R$ 64,50 para o produto disponível em Rio Grande, onde não foram registrados negócios para a soja futura. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário