Soja da safra nova chega a R$ 67 em Rio Grande nesta 6ª feira

Publicado em 12/12/2014 11:21 e atualizado em 12/12/2014 12:40 1090 exibições

Nesta sexta-feira (12), os preços da soja nos portos brasileiros registram bons patamares. No porto de Rio Grande, a soja da safra nova está sendo negociada a R$ 67,00 e o produto disponível bate nos R$ 69,00 por saca. Em Paranaguá, a soja com entrega para maio/15 também sobe e é cotada a R$ 65,70. 

No terminal gaúcho, a soja conta com prêmios para a soja da safra velha que, em alguns casos, passam dos US$ 2,00 sobre os valores praticados em Chicago. No porto de Paranaguá, as principais posições têm prêmios variando entre 36 e 85 cents de dólar sobre as cotações da CBOT. 

O mercado brasileiro e, consequentemente o produtor, continuam sendo favorecidos pelo tripé que forma os preços no país com seus componentes positivo, uma vez que, ao lado dos ganhos em Chicago e dos prêmios positivos, o dólar também registra um novo dia de alta frente ao real e, por volta de 12h (horário de Brasília), subia 0,11% para R$ 2,653. 

"A taxa de câmbio está voltando a bater recordes, com as taxas mais altas desde 2005 e esse câmbio é altamente remunerador, principalmente quando se fala em safra nova, onde o câmbio mais adiante está projetado em algo entre R$ 2,72 / R$ 2,73. Portanto, a taxa cambial tem sido altamente favorável ao exportador na formação do preço interno", explica o analista de mercado e economista da Granoeste Corretora, Camilo Motter. 

No caso da soja disponível, os atuais patamares que vêm sendo praticados já se mostram acima da paridade internacional, ainda segundo explica o analista. Para os lotes disponíveis no interior do Paraná, por exemplo, nas regiões de Ponta Grossa, variando entre R$ 63,00 e R$ 63,50. "Assim, acredito que esse seja um momento de quem ainda detém lotes da safra velha ir pensando na comercialização", orienta.  

Na Bolsa de Chicago

Na Bolsa de Chicago, os futuros da soja também operavam em campo positivo, porém, no início da tarde, voltaram a recuar. Porém, segundo analistas internacionais, a demanda tem se mostrado ainda como um dos fatores de maior atenção dos investidores. 

Por volta das 13h30 (Brasília), os vencimentos mais negociados recuavam pouco mais de 3 pontos, com o janeiro cotado a US$ 10,38 e o maio/15, referência para a safra brasileira, valia US$ 10,50 por bushel. Mais cedo, porém, as cotações chegaram a exibir altas mais expressivas - superiores a 9 pontos - e,  nos melhores momentos da sessão até agora, as posições chegaram a US$ 10,53 e US$ 10,65, respectivamente.  

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou, nesta sexta, a venda de 110 mil toneladas de soja da temporada 2014/15 para destinos desconhecidos. Ontem, o departamento trouxe seu novo reporte de vendas para exportação e, na semana que terminou em 4 de dezembro, o volume foi ligeiramente maior do que 800 mil toneladas. 

Assim, o acumulado no ano comercial subiu para 40,4 milhões de toneladas enquanto a última projeção do USDA aponta as exportações totais na temporada corrente - 2014/15 - em 47,9 milhões de toneladas. 

"Embora as vendas para exportação tenham recuado em relação à semana anterior e ficando em 810,3 mil toneladas, esse ainda é um número forte e deixa o total de soja já comprometido até esse momento em níveis recordes", afirma o editor sênior do site norte-americano Farm Futures e analista de mercado Bryce Knorr. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário