Soja encerra 1º pregão do ano com baixas de mais de 15 pts na Bolsa de Chicago

Publicado em 02/01/2015 16:45
1025 exibições

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam a primeira sessão de 2015 em campo negativo e com baixas de dois dígitos entre os principais vencimentos. O contrato março/15 terminou o dia valendo US$ 10,07 por bushel, enquanto o maio/15, referência para a safra brasileira, ficou em US$ 10,20. 

O mercado ampliou suas perdas ao longo do dia, com os investidores aproveitando essas primeiras sessões do ano para se posicionarem com uma intensa realização de lucros. Entretanto, esse é um movimento natural das cotações, segundo explicou o consultor de mercado, Liones Severo, do SIM Consult. 

"Mas isso, é somente na largada. O mês de janeiro é, tradicionalmente, um mês de preços fracos. Nesses dias, os fundos vendidos aproveitam para tentar derrubar os preços", diz. Além disso, o consultor explica ainda que as notícias do cenário macroeconômico mundial não são muito favoráveis e também pesam sobre as cotações. 

Paralelamente, o mercado internacional da soja sentiu ainda a pressão da alta do dólar frente à importantes moedas internacionais. sobre o real, a moeda norte-americana fechou a sexta-feira com alta de 1,25%, a R$ 2,6925 e, na máxima dos negócios, chegou a R$ 2,7090. A divisa fechou 2014 com valorização de quase 13%.

"A mudança no programa do BC deixa claro que, com o câmbio nesses níveis, ele não vai brigar para fazer o dólar cair", disse o superintendente de câmbio da corretora TOV, Reginaldo Siaca à agência Reuters. 

Entre os fundamentos, o mercado observou as vendas semanais para exportação divulgadas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), nesta sexta-feira, que ficaram dentro das expectativas. As vendas norte-americanas de soja, na semana que terminou em 25 de dezembro, foram de 611 mil toneladas, contra 640 mil da semana anterior. As expectativas do mercado variavam entre 550 mil e 750 mil toneladas. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário