Soja: Mercado intensifica realização de lucros na Bolsa de Chicago nesta 6ª feira

Publicado em 15/09/2017 12:28
752 exibições

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago seguem trabalhando em campo negativo na sessão desta sexta-feira (15) e vêm ampliando suas perdas em um movimento de realização de lucros. Após duas sessões consecutivas de bons ganhos, por volta de 12h15 (horário de Brasília), as cotações perdiam pouco mais de 6 pontos entre as posições mais negociadas. Assim, o novembro/17 valia US$ 9,68 e o março/18, US$ 9,87 por bushel. O maio/17, que é referência para a safra do Brasil, chegou a testar os US$ 10,00, porém, perdeu um pouco da força no início da tarde de hoje.

Apesar da correção dos preços no pregão desta sexta, continuam correndo o noticiário internacional as informações de que o clima na América do Sul, principalmente no Brasil, poderia preocupar neste início de nova safra. 

Neste 15 de setembro se finaliza o vazio sanitário em boa parte dos principais estados produtores e já há produtores com suas plantadeiras no chão para dar início aos trabalhos de campo. O negócio é saber, porém, se as chuvas chegam para possibilitar esse início de forma adequada. 

Além disso, o Serviço Nacional de Clima dos Estados Unidos aumentou seu percentual de chance de ocorrência do La Niña durante o período de outono/inverno no hemisfério norte, ou seja, primavera/verão no hemisfério sul, de 25 a 30% para 55% a 60%. 

"O mercado vai manter os olhos muito atentos à essa questão do La Niña", disse a CRM Agricommodities nesse momento em que o plantio argentino e brasileiro estão prestes a começar.

Leia mais:

>> NOAA eleva chance de La Niña para 55% a 60% para os próximos meses

Também trazendo suporte às cotações, as informações sobre a intensa demanda pela oleaginosa também continuam chegado ao mercado. Nesta sexta-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe mais um anúncio de venda - o quinto desta semana - de 132 mil toneladas de soja da safra nova para a China. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • laércio p. saretta Caçapava do Sul - RS

    Peço que alguém explique como seria feita essa realização de lucros? Como é possível? Cada vez que o noticiário fala em venda de alguma commoditie refere-se a uma "realização de lucros"? Como isso seria possível? Penso que a imensa maioria dos analistas que escrevem nesse e em outros veículos, jamais operaram em compra e venda de commodities, ou mesmo em ações...(e -principalmente-que tenham conseguido REALIZAR LUCROS).

    2
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Não sou analista, mas posso explicar. O preço se move por padrões..., em determinados valores ele encontra suportes e em outros resistencias. (Resistencia na subida, suporte na descida). Uma das ferramentas utilizadas por traders é a regressão de Fibonacci. O link abaixo vai abrir a página com um gráfico onde se pode ver claramente no gráfico diário da soja, cada barrinha daquelas é o preço de 1 dia, que o preço chegou duas vezes na retração de 50% e voltou, na segunda realizou um rompimento que não se confirmou perdeu força e caiu. Pois bem, quem opera papéis e viu o pivô de alta se formando comprou na região de US$ 9,33, vendendo quando chegou na região dos US$ 9,80, que, no gráfico diário, é a região de 50% da regressão. Agora a coisa complica se o preço perder os US$ 9,33; e o cenário ficará ainda pior se perder a região dos US$ 9,00, onde existe de fato uma resistencia muito grande à queda do preço, mas que se rompida pode chegar aos US$ 8,5... Sai um pouco do assunto, mas olhem no gráfico o preço recuando na região de 50% de Fibonacci, um claro indicativo de que a tendência primária é de baixa e, não sendo rompido esse ponto, fica também claro que a subida não foi um movimento de força e sim apenas uma correção feita pelo mercado para voltar a cair. https://midiaagricola.wordpress.com/

      1
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      Vou publicar mais coisas no blog hoje, como a tabela de consumo de farelo no Brasil e um portfólio que montei com os preços dos principais produtos agricolas no Brasil e nos EUA. Os preços no Brasil da soja são em dólares (não temos mercado de soja na BMF), e do milho em reais.

      1