Soja: Com atenções voltadas à Argentina, mercado volta a subir em Chicago nesta 4ª feira

Publicado em 14/02/2018 15:53
1058 exibições

LOGO nalogo

Depois da realização de lucros observada mais cedo, os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago voltaram a subir na sessão desta quarta-feira (14). As posições mais negociadas subiam entre 3 e 3,25 pontos, por volta de 15h25 (horário de Brasília), e levavam o contrato maio/18 aos US$ 10,25 por bushel. 

Todas as atenções do mercado se mantêm voltadas para a Argentina neste momento, onde o clima não é só importante, como determinante para as lavouras a partir desse momento. 

No quarto dia do Crop Tour pela Argentina, o Notícias Agrícolas, a Labhoro Corretora e a Big Safra constataram que as lavouras argentinas estão necessitando de chuvas e que o solo está bem seco. Contudo, ainda há potencial de produtividade para a soja.

Saiba mais:

>> Lavouras de soja com bom desenvolvimento na Argentina, mas precisam de chuvas nos próximos 10 dias

E para os próximos dias, mais tempo quente e seco aparece nos mapas climáticos para os próximos dias. "Um padrão de chuvas abaixo da média continua sendo projetado para a Argentina, agora com temperaturas se elevando, no mesmo período ds próximos cinco dias", segundo informa o boletim diário da AgResource Mercosul.

Os traders também não desviam os olhos do mercado financeiro, já que a baixa do dólar nos últimos dias provocou um forte rally entre as cotações nas duas sessões anteriores, com o dólar marcando novas mínimas frente a uma série de moedas. Nesta tarde de quarta-feira, o index perdia 0,54% para ser negociado a menos de 90 pontos. 

Frente ao real, a moeda americana também trabalha em campo negativo nesta volta dos negócios, acompanhando o quadro externo. Perto de 15h50, o dólar recuava 1,6% para ser negociado a R$ 3,25. 

"Hoje é um dia atípico, com baixo volume de negócios", afirmou o operador da corretora Advanced Alessandro Faganello à agência de notícias Reuters, citando o cenário externo como o guia dos investidores locais. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário