USDA: EUA terão produções menores de soja e milho na safra 2018/19

Publicado em 10/05/2018 13:16 e atualizado em 11/05/2018 14:35
7038 exibições

LOGO nalogo

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe seu novo boletim mensal de oferta e demanda nesta quinta-feira (10) confirmando números menores para a temporada 2018/19 norte-americana tanto de soja, quanto de milho. Sobre a safra velha, poucos destaques para o cereal, e uma redução nos estoques finais da oleaginosa. 

Soja 2017/18

EUA - O reporte confirmou uma redução nos estoques finais de soja dos EUA na safra 2017/18, com o número caindo de 14,97 para 14,42 milhões de toneladas. A estimativa ficou dentro do intervalo esperado pelo mercado, de 13,34 a 15,38 milhões de toneladas, porém, abaixo da média esperada de 14,72 milhões de toneladas. 

As exportações foram mantidas em 56,2 milhões de toneladas, enquanto o esmagamento foi revisado para cima e ficou em 54,16 milhões de toneladas, contra 53,61 milhões do boletim anterior. 

Mundo - O USDA trouxe ainda um aumento da produção mundial para 336,7 milhões e do estoques finais para 92,16 milhões de toneladas. 

Foi registrado um aumento na safra brasileira de 115 para 117 milhões de toneladas, e das exportações de 73,1 para 73,3 milhões de toneladas. A produção da Argentina foi, mais uma vez, revisada para baixo e ficou em 39 milhões de toneladas. 

As importações de soja da China também ficaram inalteradas em 97 milhões de toneladas. 

Safra 2018/19

EUA - Para a safra nova, os EUA trouxeram a produção de soja estimada em 116,48 milhões de toneladas, enquanto a média esperada pelo mercado era de 117,33 milhões. Em fevereiro, no Agricultural Outlook Forum a colheita americana foi estimada em 117,57 milhões de toneladas. 

Os estoques finais da nova safra foram estimadas pelo USDA em 11,29 milhões de toneladas, contra os 12,52 milhões de média estimados no fórum do início do ano. As exportações da nova temporada, afinal, estão inicialmente projetadas em 62,32 milhões de toneladas. 

A área plantada estimada é de 36,02 milhões de hectares e a colhida em 35,69 milhões, contra 36,46 e 36,22 milhões do ano passado, respectivamente. A produtividade média esperada é de 55 sacas por hectare.

Mundo - A produção mundial de soja 2018/19 foi projetada em 354,54 milhões de toneladas e os estoques finais em 86,7 milhões. 

A produção do Brasil foi estimada em 117 milhões e da Argentina em 56 milhões de toneladas. As importações chinesas de soja, por sua vez, foram estimadas em 103 milhões de toneladas. 

USDA - Soja Maio

Milho 2017/18

EUA - No caso do milho norte-americano da safra 2017/18, os estoques finais foram mantidos em 55,43 milhões de toneladas, em linha com as expectativas, que variavam de 54,16 a 56,09 milhões de toneladas. 

As exportações dos EUA foram mantidas em 56,52 milhões de toneladas, mas a utilização do cereal para a produção de etanol subiu de 141,61 milhões para 178,83 milhões de toneladas. 

Mundo - A produção mundial foi ligeiramente revisada para cima, ficando em 1.036,66 bilhão de tonelasas, enquanto os estoques finais globais caíram para 194,85 milhões de toneladas. 

No cenário brasileiro, a produção foi cortada de forma expressiva de 92 para 87 milhões de toneladas. Assim, as exportações nacionais foram revisadas para 30 milhões de toneladas, contra 33 milhões projetadas em abril. Para a Argentina, os números ficaram inalterados. 

Milho 2018/19

Para a nova safra dos Estados Unidos, o USDA estima que serão colhidas 356,64 milhões de toneladas. O volume fica dentro do intervalo esperado pelo mercado de 353,61 a 370,96 milhões de toneladas. 

Os estoques finais esperados pelo departamento para o cereal são de 42,73 milhões de toneladas, contra expectativas que variavam de 37,26 a 48,44 milhões de toneladas. 

USDA - Milho Maio

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Carla Mendes, muito bom o trabalho. Analisando os dados, Brasil e EUA somados, vão exportar 8 mi de ton a mais e vão produzir 7 mi de ton a mais. A Argentina vai produzir bem menos, no entanto tem altos estoques de soja em grão. Por isso o preço ficou estacionado, pois os dados da Secex e da Abiove não registraram aumento das exportações brasileiras na comparação do primeiro quadrimestre deste ano com o do ano passado. Até agora a estória de aumento nas exportações brasileiras não passa de lenda. Aliás a projeção da Conab para a exportação brasileira no período jan-dez de 2018 está em 69 mi de ton, valendo lembrar que o ano safra utilizado pelo USDA é o de 30 out- 2017 até 01 set. de 2018.

    24
    • FABIANO DALL ASTACANARANA - MT

      Analisando os dados , é bem provavel que o bushel trabalhe de 8 a 12 dolares. E o cambio , por sua vez , fique no intervalo de 3.15 a 4.20 . Sem mais.

      9
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      https://midiaagricola.wordpress.com/

      1
    • MARCIO MAGARINOS OUTROSTIO HUGO - RS

      Com esta margem para mais ou para menos fica difícil de errar.

      0