Soja em Chicago mantém estabilidade nesta 3ª feira, mas passa a testar leves baixas

Publicado em 30/10/2018 13:36
212 exibições

LOGO nalogo

A estabilidade continua entre os preços da soja no pregão desta terça-feira (30), porém, as cotações voltaram a atuar em campo negativo. Os futuros da oleaginosa, que mais cedo subiam levemente, recuavam de 3,25 a 4,25 pontos nos principais contratos, por volta de 12h15 (horário de Brasília). 

Assim, o vencimento novembro/18, que segue como o mais negociado, vale US$ 8,35 por bushel, se distanciando cada vez dos US$ 8,50. Já o maio/19, que serve como referência para os negócios da safra brasileira, vinha sendo negociado a US$ 8,76. 

Os participantes do mercado continuam a pesar os fundamentos e os mesmos são, até este momento, negativos e continuam a exercer pressão sobre as cotações. 

A colheita nos EUA e o plantio na América do Sul se desenvolvem bem, enquanto a demanda pela soja norte-americana se mantém fraca e chamando a atenção dos traders. Os embarques do país são, no acumulado da temporada, os mais baixos dos últimos 10 anos. 

"Nos Estados Unidos, a demanda pela oleaginosa para exportação continua fraca, sem qualquer perspectiva de reaquecimento sem uma “reconciliação” entre Trump e Xi Jinping", explicam os analistas da AgResource Mercosul (ARC). Os dois líderes deverão se encontrar novamente nas próximas reuniões do G20, mas ainda sem as perspectivas de um acordo. 

As especulações continuam acontecendo, porém, Donald Trump segue afirmando que a "China não está pronta" para o acordo. E para o presidente americano, será um "grande acordo". 
 
Até o último domingo (28), a colheita norte-americana da soja estava concluída em 72% da área, contra uma expectativa do mercado de 68%. O índica ainda fica abaixo do ano passado e da média dos últimos cinco anos, quando o índice era de 81%. Na semana passada, o total era de 53%.  

No Brasil, as referências estão mais baixas, uma vez que têm acompanhado o recuo em Chicago, bem como a recente baixa do dólar e prêmios ligeiramente mais tímidos. Segundo informações apuradas pela De Baco Corretora de Mercadorias, a soja disponível tinha R$ 86,50 por saca no porto de Rio Grande, com pagamento programado para metade de novembro.

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário