Soja: Durante encontro do G20, Chicago encerra a 6ª feira com leves altas e espera novidades

Publicado em 30/11/2018 18:45
347 exibições

LOGO nalogo

A sexta-feira (30) terminou ainda com expectativas sobre o encontro de Donald Trump e Xi Jinping na reunião do G20 que foi iniciada hoje e, após uma semana de intensa volatilidade para o mercado da soja na Bolsa de Chicago, as cotações terminaram o dia com leves altas. 

Os preços trabalharam durante todo o pregão em campo positivo e o encerraram subindo pouco mais de 6 pontos entre os principais vencimentos. O janeiro/19, que é o mais negociado agora, fechou o dia com US$ 8,94 e o maio/19, que é referência para os negócios no Brasil, com US$ 9,20 por bushel. 

Segundo analistas internacionais, certo otimismo em torno das conversas dos presidentes chinês e americano teria dado algum suporte às cotações neste início da cúpula, que acontece em Buenos Aires e vai até este sábado (1). Até que as definições comecem a ser divulgadas, porém, o mercado deverá continuar a buscar sua direção. 

Um dos representantes americanos, Robert Lighthizer, disse "que ficaria surpreso caso o jantar entre Xi e Trump não fosse um sucesso no sábado a noite". Mais especialistas internacionais afirmam que a próxima semana poderia, portanto, trazer um acordo entre os líderes das duas maiores economias do mundo. 

Entretanto, os mesmos analistas - e mais os nacionais - afirmam que essas declarações, que aparecem a todo momento de ambos os lados, mantêm o mercado sem direção, e caminhando de lado, com a necessidade de cautela dos traders cada vez mais evidente. Até que a decisão saia, novos movimentos não têm sido observados. 

Além disso, até lá, os demais fundamentos do mercado seguem em segundo plano e influenciando pontualmente sobre as cotações em Chicago. Nesta sexta, encontraram suporte em um novo anúncio de vendas por parte do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Foram 120 mil toneladas da oleaginosa 2018/19 para destinos não revelados. 

Mercado Nacional

Com esse ritmo no mercado internacional, no brasileiro essa sexta-feira foi mais um dia de preços estáveis em quase todo o país. Novamente, as oscilações foram pontuais. 

Enquanto Itiquira e Alto Garças, em Mato Grosso, perderam 4,29% para R$ 67,00 por saca, em Rondonópolis o preço 0,74% para R$ 68,50 nesta sexta. As cotações recuaram ainda no Paraná, equanto subiram mais de 2% em Santa Catarina. 

Nos portos, Rio Grande subiu 0,48% para R$ 84,00 por saca no disponível e 0,60% para dezembro, encerrando o dia com R$ 84,50. Em Paranaguá, queda de 1,20% no spot, para R$ 82,00 e fechou estável nos R$ 79,00 para a safra nova. 

Comentário de Mercado pela ARC Mercosul

AgResource-logo

Por Cristiano Palavro

Desde o início deste embate político entre EUA e China, a especulação vem precificando qualquer potencial “reconciliação” entre as duas nações. Agora, durante a reunião do G-20, Trump e Jinping se encontrarão pela primeira vez desde os primórdios desta relação de amor e ódio. Vai ser curioso o resultado do jantar programado para ambos os líderes, neste sábado (1). Francamente, é mais provável que a relação continue recheada de ódio. Trump – o egocêntrico do relacionamento – ainda está cheio de si, dizendo que mesmo com um “potencial acordo”, ele ainda está insatisfeito com o posicionamento chinês. Mas ei... Que posição foi tomada pelo desolado Jinping?! A única reação asiática foi na contramedida, rebater em ataque, retaliação! Com o desacordo reinando entre os estadunidenses e os chineses, os produtores brasileiros irão desfrutar da concentração de demanda para a soja doméstica nas próximas semanas, meses ou anos!

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário