Soja testa leves altas em Chicago nesta 5ª feira com mercado ainda carente de novas notícias

Publicado em 21/02/2019 08:11
640 exibições

LOGO nalogo

O caminhar de lado e sem força dos preços da soja na Bolsa de Chicago continua nesta quinta-feira (21) e, por volta de 7h50 (horário de Brasília), as cotações subiam 2 pontos nos principais vencimentos. o março/19 vinha cotado a US$ 9,04 e o maio/19, o mais negociado neste momento, tinha US$ 9,18 por bushel. 

Carente de notícias, o mercado continua dependente de novas notícias sobre as relações comerciais entre China e Estados Unidos - que estão novamente reunidos nesta semana para mais uma rodada de negociações - e já visivelmente desgastado pela falta de confirmação dos boatos que há meses circulam pelos bastidores. 

Os traders buscam também uma ligeira recuperação depois de os preços testarem suas mínimas em 33 dias na CBOT, mas ainda sem força para consolidar o movimento. 

"As expectativas continuam positivas sobre uma resolução comercial entre Trump e Jinping, entretanto os ânimos já estão totalmente arrefecidos", explicam os analistas da ARC Mercosul.

Além dessas questões, o mercado se divide também entre as notícias da safra da América do Sul e, principalmente, a peste suína que segue se agravando na China e já chega também a outros países, como no Vietnã, onde já foi confirmada. 

Veja como fechou o mercado nesta quarta-feira:

>> Soja: Com mercado ainda lateralizado, produtor brasileiro tem que aproveitar oportunidade em Chicago ou nos prêmios para vender 

Comentário de Mercado da ARC Mercosul

Por Cristiano Palavro

Chineses e americanos caminham decisivamente para efetivar um novo acordo comercial, ou pelo menos mais uma “trégua” para estender as negociações. Assim como ocorrido no início de 2018 durante o encontro do G-20, para que isso ocorra os asiáticos deverão novamente se comprometer a adicionar compras de produtos americanos, e desta vez o milho pode ser a bola da vez.

As atenções agora também se voltam para as projeções da safra norte-americana. Ao que tudo indica o milho ganhará espaço frente a soja na área plantada do país. 

No Brasil, em meio a uma demanda externa ainda concentrada sobre a nossa soja neste início de 2019, os preços caminham sem força de recuperação. A safrinha já está com plantio bem adiantado, e as condições climáticas se mostram favoráveis até o momento.

>> Clique AQUI e saiba mais sobre a ARC Mercosul

Tags:
Por Carla Mendes
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário