Soja tem leve recuo nesta 6ª feira, mas não desvia olhar do clima no Corn Belt

Publicado em 31/05/2019 08:04 e atualizado em 31/05/2019 15:19
3709 exibições
Mapa traz previsões até 7 de junho, com elevados acumulados principalmente no oeste dos EUA

LOGO nalogo

A manhã de sexta-feira (31) é de finalização de mês e leve realização de lucros para o mercado da soja na Bolsa de Chicago. Depois de ganhos de mais de 17 pontos no pregão anterior, as cotações têm pequenas baixas de pouco mais de 4 pontos nos principais contratos. 

Assim, o vencimento julho valia US$ 8,84 por bushel, e o agosto era cotado a US$ 8,91. 

O mercado, apesar desse ligeiro recuo, segue muito focado nas questões climáticas e nas adversidades que ameaçam muito severamente a nova safra norte-americana. "Mas o fim do mês oferece oportunidades de tomada de lucros e o mercado aproveita", diz a consultoria internacional Allendale, Inc. 

O mapa, na sequência, mostra a continuidade das chuvas nos próximos 7 dias no coração do Corn Belt, com volumes maiores agora sendo esperados para estados como Kansas, Oklahoma, Missouri, Illinois e Indiana. 

A previsão vale de 31 de maio a 7 de junho e parte do NOAA, o serviço oficial de clima do governo americano.

NOAA 7 dias

Abaixo, a imagem é do modelo GFS, atualizado no meio do dia de ontem, com volumes muito elevados de precipitações esperados até 13 de junho. 

GFS EUA

Ainda no paralelo, as questões todas que envolvem a guerra comercial entre China e Estados Unidos - com os chineses tendo bloqueado novas compras no mercado americano - e esperando os novos movimentos de ambos os países. 

E nesta sexta-feira, os traders se atentam ainda aos números que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) atualiza sobre as vendas semanais para exportação. As expectativas para a soja são de algo entre 250 mil e 650 mil toneladas. 

Veja como fechou o mercado nesta quinta-feira:

>> Modelos atualizados mostram mais chuvas até 13 de junho e soja fecha com forte alta

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário