Soja: Mercado futuro encerra o pregão desta 2ª feira com fortes desvalorizações na Bolsa de Chicago

Publicado em 19/08/2019 17:21
3558 exibições
Pressão de baixa nas cotações motivou algumas vendas técnicas

LOGO nalogo

As cotações futuras do cereal encerraram com forte desvalorização da tabela na Bolsa de Chicago (CBOT) na sessão desta segunda-feira (19). Os principais vencimentos da commodity encerraram o pregão com perdas de 13,25 pontos. O contrato setembro/19 terminou o dia cotado a  US$ 5,54 por bushel e o novembro/19 trabalhava a US$ 8,66 por bushel.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços dos grãos subiram moderadamente na última sexta-feira, mas a sessão desta segunda-feira devolveu a maioria desses ganhos, com a melhora das previsões meteorológicas em curto prazo, aplicando alguma pressão de baixa que motivou algumas vendas técnicas. 

“Os preços da soja caíram cerca de 1,5% na sessão desta segunda-feira devido a algumas vendas técnicas, depois que os traders consideraram melhores previsões do tempo e agravadas pelas expectativas de que as condições das safras se mantiveram estáveis ​​na semana passada”, afirma Potter. 

Segundo as informações da Reuters Internacional, as chuvas registradas durante este final de semana nas regiões de Minnesota, sul de Iowa, oeste do Missouri e leste do Kansas, Illinois, Indiana e Ohio vão beneficiar as lavouras de soja. "A chuva superou as expectativas na maioria das áreas, particularmente no oeste Meio-Oeste, melhorando as condições para o milho e crescimento da soja ", disse a empresa de tecnologia espacial Maxar em nota aos clientes. 

Ainda segundo as informações da Reuters, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse no domingo que ele ainda não estava pronto para chegar a um acordo comercial com a China. O assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmou que os representantes comerciais de ambos os países vão conversar dentro de 10 dias e a expectativa é que os representantes da China venha aos Estados Unidos. 

Mercado Interno

No caso do mercado interno, as principais praças pesquisadas pelo o Notícias Agrícolas registraram valorizações nas cotações do cereal. Em Jataí/Go e Rio Verde/GO, a saca da soja terminou o dia cotada a R$ 68,00 com um ganho de 1,49%. Já na região de São Gabriel do Oeste/MS, o grão registrou uma valorização de 1,39% com a saca em torno de R$ 73,00. 

No município de Campo Novo do Parecis/MR, a valorização para a oleaginosa foi 1,47% com a saca cotada a R$ 69,00. Em Rondonópolis/MT, a referência está em torno de R$ 77,50 a saca com um ganho de 1,31% e em Itiquira/MT a saca está cotada a R$ 76,00 com um avanço de 1,33%. 

Por outro lado, a saca da soja disponível no Porto de Rio Grande terminou o dia cotada a R$ 83,30 com um recuo de 0,24%. Já no Porto de Paranaguá, a desvalorização foi de 0,59 e a soja disponível está em torno de R$ 84,00 a saca. Na região de Palma Sola/SC, terminou o dia com uma queda de 0,68% e o preço da saca está próximo de R$ 72,50.

Segundo as informações da consultoria Agrifatto, as valorizações para o câmbio e altas para os prêmios reajustaram para cima as pedidas pelo grão no mercado doméstico. A soja em Paranaguá registrou-se ao redor de R$ 86,50/sc para entrega e pagamento no próximo mês.

Em seu boletim semanal, o Cepea divulgou que os compradores estão cautelosos para fechar negócios que envolvem grandes lotes da cultura. “Parte dos vendedores prefere enviar a oleaginosa para o porto em detrimento do mercado doméstico, favorecido, inclusive, pelo transporte de retorno com adubo entre o porto e as regiões produtoras”, informou o Cepea. 

Leia mais: 

>> Soja: Com vendedores retraídos, preços sobem

Dólar

A moeda norte-americana encerrou a sessão desta segunda-feira com alta de 1,60%, negociado a R$ 4,0677 na venda. "O dólar tornou a fechar em forte alta contra o real, para o maior nível em três meses, diante do fortalecimento global da divisa norte-americana em meio a mais dúvidas sobre a disposição do Federal Reserve de cortar novamente os juros nos Estados Unidos, movimento que pode aumentar a oferta de moeda em países como o Brasil", reforçou a Reuters.

Confira como ficaram as cotações nesta terça-feira:

>> SOJA

Tags:
Por: Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário