Soja trabalha em baixa nesta 2ª em Chicago, mas atenta às altas do petróleo

Publicado em 16/09/2019 08:19
1272 exibições

LOGO nalogo

O mercado da soja iniciou seus trabalhos em alta na Bolsa de Chicago nesta segunda-feira (16), mas voltou a atuar do lado negativo da tabela. Por volta de 7h55 (horário de Brasília), as cotações perdiam pouco mais de 3 pontos nos principais contratos, com o novembro vale do US$ 8,95 e o março, US$ 9,20. O maio já marcava US$ 9,31 por bushel. 

Nesta segunda, o mercado internacional de commodities e financeiro começa a semana em alerta. As notícias dos ataques a bomba, por drones, à instalações petrolíferas na Arábia Saudita dão início a uma nova crise que fizeram os preços do petróleo registrarem sua maior alta desde a Guerra do Golfo, na década de 1990. 

Na abertura do mercado em Londres, os futuros chegaram a disparar mais de 20%, enquanto subiam mais de 10 em Nova York. Na sequência, o movimento foi se amenizando, mas altas ainds são intensas. Perto de 8h10, na bolsa norte-americana, os ganhos eram de pouco mais de 9%. 

"Os preços do petróleo explodiram, subindo até 10% na Ásia e pode afetar também os preços de óleo de soja e milho (etanol e biodiesel)", explica Steve Cachia, consultor da Agro Culte e da Cerealpar.

Na outra ponta, entre os fundamentos da soja, o mercado espera pelo boletim semanal de acompanhamento de safras do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) que chega no fim da tarde de hoje e no clima para o Corn Belt. 

Além disso, ainda observa também o início da nova safra no Brasil. 

Veja como fechou o mercado na última semana:

>> Soja: Mercado brasileiro termina semana com queda de mais de 20% nos prêmios 

Tags:
Por: Carla Mendes | @ Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário