Imea revisa para cima aumento na área de soja puxada pela boa rentabilidade e demanda maior

Publicado em 04/08/2020 09:57 1620 exibições

LOGO nalogo

Em seu boletim semanal, o IMEA (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) trouxe uma nova estimativa de alta para a área que deverá ser cultivada com soja no estado na safra 2020/21.  A projeção é de que a sojicultura alcançará 10,21 milhões de hectares, aumento de 2,23% em relação à temporada 2019/20. 

"Esse aumento tem como principais justificativas a produtividade e os preços da soja, que atingiram patamares recordes na safra 2019/20 - o avançado número da comercialização para o próximo ciclo e a existência de vastas áreas de pastagem com possibilidade de conversão para a agricultura no estado", explicam os diretores do Imea. "Assim, as oportunidades e os bons negócios neste ano estão dando suporte ao agricultor para ampliação da área, a qual possivelmente atinja uma marca recorde neste ciclo", completam. 

Somente na última semana, os preços do Indicador Imea-MT apresentaram uma média de R$ 105,68 por saca, com alta de 0,83%. O momento forte também dos derivados da oleaginosa promoveram ainda um aumetno de 5,12% na média semanal das relações soja/farelo e óleo. 

Além do histórico positivo da safra anterior impulsionando as decisões da nova temporada, as boas perspectivas de demanda ainda muito forte para a soja 2020/21 do Brasil também contribuem. Afinal, não será só Mato Grosso a ampliar sua área neste próximo plantio, mas todos os estados produtores do país diante do consumo crescendo tanto internamente, quanto nos principais importadores da oleahginosa brasileira. 

"Para a safra 2020/21, as incertezas mundiais podem afetar o comércio exterior, porém, a expectativa é de que as exportações se mantenham altas e continuem com a projeção histórica de crescimento anual composto acima de 8%, apontando que Mato Grosso continuará como grande fornecedor de proteína vegetal para o mundo", acredita o Imea. 

OFERTA & DEMANDA

O atual quadro de oferta e demanda brasileiro de soja é extremamente ajustado. Com embarques muito fortes concentrados no primeiro semestre e volumes ainda consideráveis no início do segundo convergem com dados recordes também no processamento interno da oleaginosa e confirmam, dessa forma, a necessidade de um aumento da oferta na próxima temporada, como explicam analistas e consultores de mercado. 

Somente em julho foram embarcadas 10,372 milhões de toneladas de soja em grão, contra pouco mais de 7,4 milhões em julho de 2019, e elevando o total no acumulado do ano a 74,191,1 milhões de toneladas. O número supera o mesmo período não só do ano passado, mas o de 2018, quando eram pouco mais de 51 milhões de toneladas até julho em um ano de exportações brasileiras recordes de soja. 

"O Brasil já exportou muito e tem muitos contratos ainda para serem embarcados. No complexo soja, estamos com 85,7 milhões e toneladas já embarcadas, frente as 62,6 milhões de toneladas do mesmo período do ano passado. Com isso, já embarcamos 71% de toda a safra colhida e no ano passado tínhamos embarcado 54%", explica Vlamir Brandalizze, consultor de mercado da Brandalizze Consulting. 

A estimativa do Imea é de que as exportações mato-grossenses de soja da safra 2019/20 de 22,11 milhões de toneladas também sejam superadas nesta próxima temporada, bem como o esmagamento no estado, passando de 10,33 para 10,34 milhões de toneladas.

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário