Soja testa os R$ 127,50 para setembro no porto de Rio Grande nesta 2ª feira

Publicado em 10/08/2020 16:55 3556 exibições

LOGO nalogo

O mercado da soja no Brasil começa mais uma semana com preços firmes e sustentados. Tanto os futuros da oleaginosa negociados na Bolsa de Chicago, quanto o dólar frente ao real começaram o dia com leves baixas, foram mudando a direção e terminaram a segunda-feira (10) em campo positivo, favorecendo os indicativos no cenário nacional. 

No entanto, o ritmo de negócios é lento neste início de semana. "Os portos estão lentos e os compradores, mais fracos porque estão cobertos. E os vendedores sumiram", explica Vlamir Brandalizze, consultor de mercado da Brandalizze Consultig. 

Indicativos para a referência no CIF ainda na casa dos R$ 125,00 por saca. No terminal de Rio Grande, a soja disponível, referência setembro, chegou a testar os R$ 127,50 neste início de semana. Para a safra nova, o intervalo permanece, entre os compradores, entre R$ 108,00 e R$ 110,00, mas também sem oferta, ainda segundo Brandalizze. 

Os índices de comercialização já se mostram muito elevados e o produtor agora adota uma postura mais cautelosa, de forma e aguarda para voltar a novas vendas, principalmente da safra nova. Da safra velha, dados do Cepea mostram os maiores patamares reais desde novembro de 2012. 

"De acordo com pesquisas do Cepea, a sustentação vem da presença mais ativa de compradores no spot. Tradings precisam de novos lotes para completar cargas de navios, o que, por sua vez, indica que os embarques devem seguir firmes em agosto, depois de terem registrado volume expressivo em julho. Representantes de indústrias brasileiras relatam dificuldade na aquisição do grão, sendo verificado até acirramento na disputa entre compradores domésticos. Nesse cenário, mesmo em meio à safra recorde no País, esmagadoras têm importado maior volume de soja", explicam os pesquisadores do Cepea.

BOLSA DE CHICAGO

Na CBOT, os futuros da soja terminaram a segunda-feira subindo entre 4,25 e 6,25 pontos nos principais vencimentos, levando o o agosto a US$ 8,76 e o novembro, US$ 8,73 por bushel. 

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou vendas de soja nesta segunda-feira (10) que totalizaram 699 mil toneladas e o anúncio deu força ao mercado para que os preços passassem para o lado positivo da tabela. 

No anúncio constam três operações: 111 mil toneladas par destinos não revelados; 324 mil para a China e 264 mil também para a nação asiática, com entrega prevista também para no novo ano comercial. 

A China precisa da soja norte-americana neste momento para ir complementando seu abastecimento, mesmo depois de compras recordes em junho e julho, com a maior parte dos carregamentos vindos do Brasil. Segundo uma projeção da ADM, o país ainda precisaria comprar de 25 a 26 milhões de toneladas este ano. 

Além disso, o mercado operou com cautela antes do novo boletim mensal de oferta e demanda do USDA que chega na quarta-feira, dia 12. O mercado espera um aumento na produção, produtividade e estoques norte-americanos e, se confirmando o cenário, mais uma onda de pressão sobre as cotações pode acontecer, segundo explicam analistas e consultores de mercado. 

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário