Publicidade

Soja acumula quatro semanas de altas em Chicago nesta 6ª motivada, principalmente, pela demanda

Publicado em 04/09/2020 07:50 1005 exibições

LOGO nalogo

Apesar de o mercado atuar com estabilidade nesta manhã de sexta-feira (4), ainda sobe e testa leves altas na Bolsa de Chicaago entre as posições mais negociadas da soja. Os futuros da commodity subiam entre 0,25 e 1,50 ponto nos principais contratos, levando o novembro a US$ 9,67 e o o março/21 a US$ 9,73 por bushel. 

Os ganhos levam a dez sessões consecutivas de avanço e o mercado da soja na Bolsa de Chicago chega ainda ao seu quarto ganho semanal motivado, principalmente, pela demanda da China nos EUA. E como explicam os especialistas, não é a só a soja que vem sendo comprada pelos chineses, mas outros produtos - com grande destaque para o milho - também estão na pauta e favorecendo a subida de preços de outras commodities. 

Enquanto a China vai comprando mais, o mercado internacional especula quanto a nova safra norte-americana se perdeu por conta do clima adverso nos EUA, especialmente em agosto. 

Publicidade

Para Steve Cachia, consultor da Cerealpar, "o mercado de soja na Bolsa de Chicago mantém a tendência altista apesar dos comentários de que a quebra da safra americana talvez não seja tão grande quanto esperado. Com isso, a demanda volta a oferecer suporte, com novas compras de soja americana pela China e expectativa de maiores volumes confirmados nos próximos dias e semanas".

Assim, as expectativas para o novo boletim mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) do dia 11 também são grandes para os traders. 

Veja como fechou o mercado nesta quinta-feira:

+ Movimento de alta para soja em Chicago dá sinais de desgaste e precisa de novidades para buscar os US$10 por bushel

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário