Soja tem novo dia de baixas expressivas em Chicago nesta 4ª monitorando clima na América do Sul

Publicado em 02/12/2020 08:22 822 exibições

LOGO nalogo

Os futuros da soja operam em campo negativo nesta manhã de quarta-feira (2) na Bolsa de Chicago. As baixas variavam entre 8,75 e 9,75 pontos nos principais contratos, com o janeiro sendo cotado a US$ 11,52  e o março a US$ 11,53 por bushel, com o mercado devolvendo das altas da sessão anterior. 

Os traders continuam esperando mais notícias para redefinir seu posicionamento e, até que elas cheguem, continuam monitorando as condições de clima melhorando na América do Sul. Boas chuvas são registradas, principalmente, no Sul do Brasil e começam a dar algum fôlego às lavouras e aos trabalhos de campo que ainda precisam ser realizados. 

Alguns números revisados de consultorias particulares já indicaram, inclusive, um aumento em suas projeções para a nova safra brasileira, o que surpreendeu alguns. De outro lado, outras trouxeram baixas consideráveis, levando a colheita do Brasil a menos de 130 milhões. 

Leia Mais:

+ Soja 2020/21: Consultorias trazem novas rodadas de projeções e números divergem

Na demanda, por mais que as necessidades chinesas continuem fortes, sua ausência nos anúncios diários do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) também tiram um pouco de força do mercado. 

Além disso, o produto brasileiro se mostra mais barato para os chineses a partir de fevereiro e março de 2021, e as relações entre Pequim e Washigton voltaram a se desalinhar e a preocupar o mercado na CBOT. 

Veja como fechou o mercado nesta terça-feira:

+ Soja em Chicago pode até subir um pouco, mas ritmo das altas será mais lento e limitado, diz consultor americano

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário