Soja: Apesar de ajuste econômico, China continuará com demanda firme

Publicado em 19/11/2010 14:52 807 exibições
As medidas que a China pode tomar para esfriar o ritmo de sua inflação não devem afetar seriamente as vendas norte-americanas de soja já que a crescente demanda por alimentos por parte do maior consumidor mundial irá sustentar as exportações.

"O movimento para desacelerar a economia terá um impacto sob as vendas da oleaginosa, mas será bem menor do que estamos imaginando", disse Philip Bradshaw, presidente do conselho que representa os produtores de soja dos Estados Unidos e pesquisas de fundos de mercado. A safra de soja apresentará poucas alterações no próximo ano por conta da melhora da produtividade que irá compensar a diminuição da área plantada.

Este ano, a soja em Chicago subiu 19% sustentada pela firme demanda chinesa. As importações da nação asiática deverão alcançar as 57 milhões de toneladas, um aumento de 13% em relação à temporada passada.

"A demanda chinesa por alimentos será tão grande que eles precisarão continuar com suas compras de soja. Eu acredito que eles importarão mais este ano e o sinal que eles mandam é de que isso se confirme", disse Bradshaw, que está na agricultura há 47 anos.

Os planos da China de atacar a inflação com subsídios, venda de alimentos dos estoques e a ameaça ao controle de preços são para provar uma autosuficiência com o Banco Central tendo que elevar os juros.

Com informações da Bloomberg

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário