Grãos sentem pressão de possível fim da greve na Argentina

Publicado em 02/02/2011 15:11 e atualizado em 02/02/2011 17:57 730 exibições
O Ministério do Trabalho da Argentina ordenou que os trabalhadores portuários entrem em um acordo e coloquem fim à greve que bloqueia os terminais de soja e grãos do país. O protesto já dura uma semana.

Nesta quinta-feira, os empregados se reunirão com os exportadores para tratar dos salários após a ordem que foi emitida na noite passada. O comunicado aponta que há um pedido público da presidente Cristina Kirchner pelo fim da paralisação.

A greve contribuiu para uma expressiva alta dos preços do milho e da soja na Bolsa de Chicago, que atingiram os maiores patamares em 30 meses. Isso foi reflexo da paralisação nos portos de Rosário, que respondem por mais de 70% de todos os embarques de soja, óleo de soja e farelo.

Diante desse possível término da greve, o mercado de grãos perde fôlego na CBOT, com ganhos bem mais tímidos do que os registrados na sessão noturna, onde as altas superaram os 15 pontos. Por volta das 16h20, o ganhos variavam entre 5 e 5,5 pontos.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário