Em Chicago, soja foca clima adverso nos EUA e fecha em alta

Publicado em 21/07/2011 17:34 1012 exibições
Esta quinta-feira foi mais um dia de volatilidade para o mercado da soja na Bolsa de Chicago. Depois de operar em baixa em quase toda a sessão diurna de hoje, os preços acabaram recuperando o fôlego e voltaram ao campo positivo. O principal suporte para os preços veio das incertezas climáticas que rondam a produção norte-americana.

A queda registrada no pregão desta quinta-feira foi reflexo de movimentos técnicos por partes dos traders, que estimularam uma realização de lucros no mercado da oleaginosa para tentar evitar que os preços voltassem ao patamar dos US$ 14 por bushel.

Porém, os fundamentos para a oleaginosa seguem bastante positivos e deram sustentação às cotações. Os mapas climáticos seguem indicando a volta do calor excessivo no Meio-Oeste dos EUA, região do Corn Belt, na transição de julho para agosto, condições que seriam desfavoráveis para o bom desenvolvimento das lavouras dos EUA.

Além do clima adverso, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reportou nesta quarta-feira (20), a venda de 220 mil toneladas de soja dos EUA para a China. Fora isso, o relatório de registro de exportações divulgado hoje pelo departamento informou vendas da safra 2010/11 acima das expectativas.

O milho encerrou o dia em baixa. Depois das fortes altas das últimas sessões, o mercado optou por realizar lucros e acabou ficou do lado negativo da tabela.

Veja como ficaram as cotações no fechamento da Bolsa de Chicago:

>> SOJA

>> MILHO

>> TRIGO

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário