Em Chicago, soja fecha com quase 20 pts de alta. Milho realiza lucros

Publicado em 17/08/2011 14:01 e atualizado em 17/08/2011 19:24 1095 exibições
O complexo de grãos registra mais um dia de preços em alta na Bolsa de Chicago nesta quarta-feira. No pregão diurno de hoje,  os futuros da soja encerraram com quase 20 pontos positivos e o trigo mais de 6. O milho, apesar dos fundamentos positivos, acabou registrando uma ligeira realização de lucros e fechou com leve queda.

O impulso para os preços vem da baixa do dólar e dos ja conhecidos fundamentos do mercado sobre as incertezas em relação a produção norte-americana. Além dos fundamentos, movimentos técnicos do mercado, com ajuda do bom humor do mercado financeiro, também impulsionam as altas. A alta do petróleo contribui para o avanço.  Com isso, a soja encontrou um espaço para subir e aproveitou a oportunidade para se recuperar das recentes perdas.

O período atual é o mais representantivo em relação ao clima nos Estados Unidos e agravam as preocupações com o tamanho das safras norte-americanas. "O mês agosto é o período mais crucial no desenvolvimento, dia a dia temos notícias de clima saindo e isso vai influenciando diretamente as cotações de mercado", disse Glauco Monte, consultor da FC Stone.

O cenário fundamental é bastante positivo para o mercado de grãos. As adversidades do clima norte-americano deve ter como séria consequência safras menores do que o esperado, fato que deve seguir sustentando os preços.

No momento, os problemas que mais preocupam são os ligados ao plantio do trigo de inverno no país, que,  em função da severa estiagem, podem apresentar uma área de plantio menor do que o estimado anteriormente.  

Nas plantações de milho, a produtividade das lavouras dos EUA foi seriamente comprometida e a baixa foi confirmada no último relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

"No caso do milho, há muitos operadores debatendo no mercado a possibilidade de se ter rendimentos no milho ainda mais baixos do que os apresentados pelo USDA. O cereal segue com um sentimento altista muito preocupado com o rendimento dessas lavouras que serão colhidas em dois, três meses", disse Glauco.

No caso da soja, o estágio de definição está acontecendo agora e por enquanto vem garantindo o potencial mínimo de produção. Entretanto, a relação de oferta x demanda segue bastante apertada e deve continuar sendo fator de estímulo ao avanço dos preços em Chicago.

Diante deste cenário, a orientação de Glauco é de ques os produtores aproveitem esta alta dos preços e realizem algumas vendas, garantindo, dessa forma, alguns valores.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário