Com clima adverso nos EUA, grãos operam em alta na CBOT

Publicado em 22/08/2011 09:36 e atualizado em 22/08/2011 12:21 1040 exibições
O clima adverso nos Estados Unidos segue dando suporte aos grãos negociados na Bolsa de Chicago. A semana começou bastante positiva para o trigo, que fechou o pregão noturno desta segunda-feira com altas de mais de 12 pontos e liderou as altas na CBOT, além de alcançar a maxima em dois meses. As cotações estenderam seus ganhos para a sessão diurna e, por volta das 12h17 (horário de Brasília), a soja já somava mais de 16 pontos de alta. O milho e o trigo subiam pouco mais de 10 pontos.

Há especulações de que a seca nos EUA possa provocar uma redução da área plantada de trigo de inverno no país. De acordo com informações do instituto de meteorologia norte-americano Telvent DTN, o clima quente e seco deverá persistir na próxima semana nos estados de Kansas, Oklahoma e Texas, os principais produtores de trigo de inverno do país. Este ano, a região sul das Grandes Planícies recebou poucas ou quase nenhuma chuva.

"O desapontamento sobre a safra de trigo de primavera e o temor do atraso no plantio do trigo de inverno nas Grandes Planícies por conta da seca são os principais assuntos no mercado do grão neste momento", disse Carsten Fritsch, analista do Commerzbank AG, de Frankfurt.

Essas condições climáticas também favorecem os preços da soja e do milho, já que sinalizam uma nova redução nas estimativas sobre a produtividade das lavouras dos EUA.

Tais informações devem ser confirmadas por uma pesquisa de longo prazo que começará a ser desenvolvida por profssionais da Farmers of America. A organização deverá implantar analistas, traders de grãos, compradores e agricultores como "olheiros" para a pesquisa de dois mil campos em sete estados. O objetivo do estudo é descobrir evidências da diminuição do rendimento da produção norte-americana depois do mês de julho mais quente desde 1955.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário