Com fundamentos positivos, soja e milho registram altas em Chicago

Publicado em 29/08/2011 09:39 e atualizado em 29/08/2011 13:00 1608 exibições
Os fundamentos positivos continuam sustentando os preços para o complexo de grãos nesta segunda-feira em Chicago. Na esteira do fechamento noturno a CBOT abriu o pregão diurno com boas valorizações para a soja, que às 11h46 (horário de Brasília) ganhava 10 pontos no vencimento janeiro/2012 mantendo os preços da oleaginosa no patamar dos US$14 por bushel. Já o milho subia 4 pontos nos principais vencimentos e o trigo operava no vermelho, caindo 1 ponto.

As altas dos grãos encontram solidez no clima nos EUA. O tempo seco e quente tem causado danos às lavouras no país e a previsão dos metereologistas é de que as temperaturas devem se manter elevadas e sem chuva. O mês de julho foi o mais quente desde 1955 em Estados como Iowa e Illinois.

Diante deste cenário, o fundamento de oferta X demanda ganha fôlego frente à queda de produtividade americana.  Os estoques já registram níveis historicamente baixos e impulsionam as cotações dos grãos.

Pro Farmer

Na sexta-feira, a Pro Farmer divulgou novos números de queda da produção americana devido às más condições climáticas. 

Na região central do estado de Illinois, o rendimento do milho foi contabilizado em 147,3 bushels por acre frente as 180,7 bushels por acre registrados em 2010. Para a soja, cerca de 1.209 vagens/m2, ante as 1.242 no ano passado.

Já para o Nebraska, a produtividade do cereal foi estimada em 153,7 bushels por acre, enquanto que em 2010 foram 153,8 bushels. Foram estimadas ainda 1.286 vagens de soja por m², 1,5% a menos do que no ano passado.

No caso de Indiana, as lavouras de milho devem render cerca de 143,1 bushels por acre ante os 167,1 registrados em 2010. Quanto à soja, são estimadas por m² 1.137 vagens frente as 1.238 no ano passado.

No estado de Iowa, o rendimento estimado pela Pro Farmer foi de 181 bushels por acre, enquanto que na safra anterior foram 170 bushels/ac. São estimadas ainda 1.537 vagens/m² ante o índice de 1.475 em 2010.

Tags:
Por:
Ana Paula Pereira
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário