Soja sente forte pressão do cenário externo e fecha com quase 20 pts de queda

Publicado em 07/11/2011 17:07 491 exibições
Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago iniciaram a semana em queda e já perdendo o patamar dos US$ 12 por bushel. O mercado registrou quedas bastante siginificativas e o vencimento novembro fechou a segunda-feira valendo US$ 11,91, com baixa de 20,75 pontos.

Uma junção de fatores pesou sobre os preços na sessão de hoje provocando esse forte recuo. O tom negativo do mercado financeiro, mais a alta do dólar, a demanda ainda um tanto lenta e o clima favorável à colheita no Meio Oeste dos Estados Unidos foram os principais atores desse fechamento negativo.

No cenário macroeconômico ainda há muita desconfiança. Os traders ainda operam com insegurança, cautela e forte aversão ao risco, uma vez que  o mercado não apresenta resoluções concretas e medidas de fato implementadas para conter a expansão e o agravamento da crise da dívida na Zona do Euro.

Além dos problemas vindos da Grécia, o mercado agora enfrenta más notícias vindas da Itália. Com isso, a fragilidade da situação ainda é grande e segue preocupando muito os negócios. Com isso, como em outras ocasiões, os investidores tiram suas posições das commodities - ativos bastante voláteis - e as empregam em ativos mais seguros.

Como explicou o analista de mercado Leonardo Menzes, da Céleres Consultoria, o mercado de commodities ainda está intimamente ligado ao desempenho do mercado financeiro e "enquanto não houver uma solução para esses problemas, os preços não devem sair dos atuais patamares".

No campo fundamental, apesar das boas expectativas para a demanda, a mesma ainda se mostra um pouco lenta. Nem mesmo os atuais patamares de preço estimulam as compras e isso também pressionou o mercado nesta segunda-feira.

Sobre o clima, as boas condições para a colheita nos EUA e para a evolução da safra na América do Sul estimularam ainda mais as baixas registradas hoje.

Veja como ficaram as cotações no fechamento da Bolsa de Chicago:

>> SOJA

>> MILHO

>> TRIGO

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário