Chicago: Soja devolve ganhos e fecha o dia em campo negativo

Publicado em 05/12/2011 17:00 e atualizado em 05/12/2011 18:51 499 exibições

Os futuros dos grãos fecharam a segunda-feira em queda na Bolsa de Chicago. Apesar do fechamento positivo no pregão noturno, ao longo do pregão regular as cotações foram devolvendo os ganhos e acabaram passando, novamente, para o campo negativo.

Segundo analistas, os fundos deixaram o mercado de novo, no caso da soja, dessa vez por conta dos números frustrantes sobre as inspeções semanais de exportações nos Estados Unidos. Os números ficaram aquém das expectativas do mercado e acabaram pressionando os preços na CBOT. O volume - 31,649 milhões de toneladas - foi bem menor do que o registrado na semana passada e também muito menos do que o inspecionado neste mesmo período do ano passado.

Essa redução poderia ser explicada por uma mudança de foco do principal comprador mundial de soja, a China, de seus fornecedores, migrandos suas compras dos Estados Unidos para Brasil e Argentina. Ao comprar mais na América do Sul, os chineses acabam pressionando as cotações em Chicago.

Além disso, uma forte baixa nos mercados de derivativos - como farelo e óleo de soja - também pesaram sobre os preços da oleaginosa em grão, como explicou o analista de mercado Eduardo Vanin, da Agrinvest.

Entre os fatores externos, a questão da crise financeira voltou a preocupar o mercado internacional de grãos. Em meio a tantas incertezas, os investidores seguem avessos ao risco, deixando suas posições nas commodities agrícolas.

Além disso, a agência de classificação de risco Standard & Poor's anunciou que poderia rebaixar a nota de crédito de mais oito países europeus, entre eles, Alemanha e França, as duas economias mais consistentes do continente.

"O mercado não está negociando os fudamentos, está negociando a crise europeia", disse o analista de mercado Flávio Oliveira, da Terra Futuros. Ainda se espera, como há meses, resultados e medidas mais concretas para a crise econômica que vem preocupando a economia global.

USDA - Nessa semana, os olhos do mercado também se voltam para o relatório mensal de oferta e demanda que o USDA divulga na sexta-feira (9). O relatório é o último do ano e, segundo Oliveira, o boletim não deve trazer muitas novidades.

Para o analista, o conservadorismo do departamento deve ser mantido e o reporte não será capaz de promover mudanças muito expressivas nas tendências dos preços dos grãos.

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta segunda-feira:

>> SOJA        >> MILHO        >> TRIGO

No Valor:

S&P colocará toda a zona do euro em revisão para rebaixamento


 Todos os 17 países da zona do euro serão colocados em observação negativa pela Standard and Poor’s (S&P) para possível rebaixamento da nota de qualidade de crédito, afirma reportagem divulgada há pouco pelo site do Wall Street Journal (WSJ).

Mais cedo, o Financial Times já havia informado que seis países da região que possuem a nota máxima AAA, entre eles França e Alemanha, seriam colocados em revisão para possível rebaixamento.

Segundo o WSJ, a S&P divulgará o comunicado oficial após as 19 horas (horário de Brasília), quando fecha a bolsa de Nova York.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário