Açúcar acumula alta de mais de 2,50% na semana na Bolsa de Nova York

Publicado em 07/05/2021 18:22 e atualizado em 08/05/2021 08:57 228 exibições
Preocupações com safra brasileira, com impactos na oferta, e financeiro deram suporte aos preços

LOGO nalogo

As cotações futuras do açúcar encerraram a semana com alta acumulada de mais de 2,50% na Bolsa de Nova York, apesar de oscilações mistas durante a sessão desta sexta-feira (07). O suporte acompanhou as preocupações com a safra brasileira, com impacto na oferta, apesar de ajustes técnicos.

O principal vencimento do açúcar na Bolsa de Nova York teve desvalorização de 0,34%, cotado US$ 17,49 c/lb, com máxima de 17,69 c/lb e mínima de 17,55 c/lb. Os outros vencimentos oscilaram entre ganhos e perdas. O tipo branco em Londres registrou alta de 0,46%, negociado a US$ 462,90 a tonelada.

Na semana, as cotações do açúcar em Nova York acumularam alta de 2,58%.

"Os players do mercado de açúcar entraram em consenso de que a safra 2021/22 será menor do que a safra 2020/21, tanto em cana de açúcar quanto em produção de açúcar de fato. A incerteza agora gira em torno do quanto a seca 2020 e as chuvas abaixo da média em 2021 impactarão na produtividade final da cana", disse em relatório o Itaú BBA.

Cana-de-açúcar - Foto: Embrapa/Divulgação
Mercado do açúcar em Nova York fechou no campo misto na sessão desta sexta-feira - Fonte: Embrapa

Algumas áreas produtoras de cana no Centro-Sul do Brasil enfrentam a pior seca em 40 anos, segundo análises recentes da Somar Meteorologia. Além disso, a previsão do tempo para as áreas de lavouras do Centro-Sul do Brasil não mostram muita mudança de tempo.

Do lado da demanda, também houve atenção do mercado nos últimos dias para um comerciante chinês pouco conhecido que comprou açúcar de Nova York em um movimento surpresa, segundo informações da agência Bloomberg.

Do lado do financeiro, o mercado encontrou suporte da desvalorização do dólar sobre o real, já que tende a desencorajar as exportações da commodity pelos brasileiros. Porém, a queda em parte do dia nos petróleos WTI e Brent também foi acompanhada.

"O real mais forte desestimula as vendas de exportação dos produtores de açúcar do Brasil", destacou em nota a Barchart.

Mercado interno

Os preços do açúcar caíram nesta reta final da semana depois de ganhos importantes nos últimos dias. O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, recuou 0,65%, cotado a R$ 113,75 a saca de 50 kg.

Já no Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar registrou estabilidade, negociado a R$ 117,28 a saca, segundo dados da Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha na última sessão o preço FOB cotado a US$ 19,02 c/lb, alta de 0,11% sobre o dia anterior.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário