Fixações de açúcar da safra 22/23 do Brasil superam 20%, aponta Archer

Publicado em 18/06/2021 09:17 e atualizado em 18/06/2021 09:50 500 exibições
Valores médios de R$ 1.920 por tonelada do adoçante, inferiores aos do mês anterior, mas ainda remuneradores, de acordo com a consultoria

LOGO nalogo

​As fixações de preços do açúcar para a safra 2022/23 do Brasil, que começa somente em abril do ano que vem, atingiram no final de maio 5,23 milhões de toneladas, ou 20,9% da exportação esperada para o ciclo, segundo a Archer Consulting em divulgação na quinta-feira (17).

A atualização mostra um avanço nas vendas de 4,7 pontos percentuais ante a apuração do mês anterior. A safra 2021/22 de açúcar do Brasil começou em abril deste ano e já está cerca de 90% comprometida. Esse cenário de vendas tão antecipadas nunca foi visto antes no país.

3ª ESTIMATIVA DE FIXAÇÃO DAS USINAS PARA A SAFRA 2022/2023 - Fonte: Archer Consulting

Segundo nota da consultoria, apesar de queda no mercado futuro do adoçante nos últimos dias, as usinas se aproveitaram nos últimos dois meses dos altos preços do produto (em centavos de dólar por libra-peso), apesar de um real mais fortalecido em relação à moeda americana.

"As usinas lograram fixar ao longo do mês na média de R$ 1.920 por tonelada, valor inferior à média obtida no mês anterior (de R$ 1.962 por tonelada) ao longo do mês, mas ainda assim um excelente nível de remuneração", pontua a consultoria.

O preço médio apurado acumulado entre outubro de 2020 e maio de 2021 é de US$ 14,25 c/lb, sem considerar o prêmio de polarização. O valor médio da fixação é de R$ 1.800 por tonelada FOB Santos, equivalentes a R$ 0,7836 por libra-peso, ambas já incluindo o prêmio de polarização.

3ª ESTIMATIVA DE FIXAÇÃO DAS USINAS PARA A SAFRA 2022/2023 - Fonte: Archer Consulting

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário