Safra 21/22 termina no Centro-Sul do BR com etanol quase 35% mais caro

Publicado em 05/04/2022 10:36 e atualizado em 05/04/2022 11:06
Preços foram, principalmente, sustentados pela menor oferta ao longo da temporada, destaca Cepea

Logotipo Notícias Agrícolas

A safra 2021/22 chegou ao fim em março no Centro-Sul do Brasil, principal região produtora do país, com preços do etanol quase 35% mais caros do que na temporada anterior. O movimento foi reflexo da menor oferta do produto, inclusive com a gasolina sendo mais competitiva em vários estados do país durante os últimos meses.

Entre os dias 21 de abril de 2021 e 22 de março de 2022, o Índice Cepea/Esalq para o etanol hidratado teve média de R$ 3,2752/litro, 34,6% superior ao do mesmo período da temporada anterior, em termos reais (as médias mensais foram deflacionadas pelo IGP- M de março/22).

Para o etanol anidro, tipo que é mistura na gasolina comum, a média do Índice Cepea/Esalq fechou em R$ 3,7714/l na safra 2021/22, uma alta de 38,5% na mesma comparação.

"Os preços foram principalmente sustentados pela menor oferta ao longo da temporada", destacou o centro em nota divulgada nesta segunda-feira (04). A safra de cana-de-açúcar foi fortemente impactada pelas condições climáticas adversas, com menor moagem e menor produção de açúcar e etanol na região Centro-Sul do Brasil.

De acordo com dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), a produção de etanol (hidratado e anidro) no Centro-Sul do Brasil diminuiu 8,9% na safra 2021/22 em relação à temporada anterior.

Considerando as semanas completas do mês de março, último da safra, o Índice do etanol hidratado fechou em R$ 3,2104/l, 11,7% superior ao de fevereiro. Para o etanol anidro (vendas no mercado spot), as cotações ficaram em média R$ 3,5572/l, alta de 8,9% na mesma comparação.

"A oferta continuou baixa no mês passado por causa da entressafra e do retorno gradual dos compradores ao mercado. Após o recesso de carnaval no Brasil, os compradores fecharam negócios para repor os estoques, elevando o volume negociado no período, que quase dobrou (+98,1%) em relação ao de fevereiro", disse.

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário