Safra de cana-de-açúcar deve sofrer alta em PE

Publicado em 23/09/2011 08:49 e atualizado em 23/09/2011 09:41 370 exibições
Produtores pernambucanos de cana-de-açúcar comemoram. A safra, este ano, deve crescer 5% em relação a 2010. Um aumento que contraria a tendência de outros estados brasileiros. Em 2011, a safra nacional de cana de açúcar diminuiu. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), por causa de fenômenos climáticos, ela está 5,6% menor.

De acordo com a Associação de Fornecedores de Cana de Açúcar de Pernambuco, o Estado vai contra essa tendência nacional. Em Pernambuco, a safra deve crescer 5% este ano e chegar a 18 milhões de toneladas produzidas.

Pernambuco tem uma área de 300 mil hectares plantados com cana de açúcar. No ano passado, o Estado sofreu com uma quebra, que em algumas regiões, chegou a 20%. Este ano, além de recuperar o prejuízo, os produtores comemoram o aumento. Um milhão de toneladas a mais deve ser colhida.

O preço também é considerado bom: R$ 73,31 a tonelada. De acordo com o presidente da Associação de Fornecedores de Cana de Açúcar, Alexandre Andrade Lima, a intensidade de chuva favoreceu esse crescimento.

“O que aconteceu, principalmente, foi que as condições climáticas foram bastante favoráveis para o desenvolvimento da cana-de-açúcar no Estado. Principalmente na Zona Norte onde o ano passado houve uma defasagem de produção devido a ocorrência de seca”, explicou Alexandre Andrade Lima.

A época de colheita está no início e por isso, o número de contratações aumentou. De acordo com o Cadastro Geral do Emprego e Desemprego, Pernambuco foi o terceiro estado do país que mais criou empregos formais no mês de agosto. Perde apenas para são Paulo e Rio de Janeiro. Foram 18.613 vagas com carteira assinada. Delas, 8.105 na indústria de produtos alimentícios, relacionados às atividades de fabricação de açúcar.

"As usinas justamente nesta época aumentam a contratações, os fornecedores de cana também, com isso há mais vagas para os trabalhadores rurais porque é onde se precisa mais para o corte da cana”, finalizou Alexandre Andrade Lima.

Fonte:
PE 360º

0 comentário