USDA projeta maiores produção e estoques de soja e milho nos EUA

Publicado em 11/09/2014 13:26 e atualizado em 15/09/2014 10:07 4426 exibições

Na tarde desta quinta-feira (11), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou seu novo boletim de oferta e demanda e trouxe números bem maiores para as safras de soja e milho do país nesta temporada 2014/15. Em alguns casos, os dados vieram até mesmo acima das expectativas do mercado. 

Com isso, os preços de ambas as commodities operam em campo negativo na Bolsa de Chicago, e os todos os principais vencimentos da soja já exibem preços abaixo dos US$ 10,00 por bushel. Por volta das 13h40 (horário de Brasília), o novembro/14 era cotado a 9,73, perdendo 20,50 pontos. 

Soja EUA

Para a nova safra de soja do país, o USDA estimou 106,41 milhões de toneladas, contra as 103,85 milhões reportadas no boletim de agosto. A expectativa do mercado, no entanto, era de 105,65 milhões de toneladas. A produtividade também ficou ligeiramente acima do esperado e subiu de 51,47 para 52,85 sacas por hectare. Os estoques finais registraram um incremento de 11,7 para 12,93 milhões de toneladas. A aposta do mercado para os estoques finais era de 12,30 milhões de toneladas. 

Por outro lado, na parte da demanda o USDA também trouxe alguns reajustes, o que pode servir como um fator limitador para a queda das cotações. A projeção para o esmagamento de soja nos EUA subiu, de agosto a setembro, de 47,76 para 48,17 milhões de toneladas, e as exportações foram passadas de 45,59 milhões para 46,27 milhões de toneladas.

As importações norte-americanas foram mantidas em 410 mil toneladas, enquanto o volume residual foi reajustado de 520 mil para 600 mil toneladas. 

Sobre a safra 2013/14, o USDA estimou menores estoques finais de soja, que passaram de 3,81 milhões para 3,54 milhões de toneladas, enquanto a expectativa do mercado era de 3,7 milhões de toneladas. Entretanto, o esmagamento aumentou de 46,95 milhões para 47,08 milhões de toneladas e as exportações de 44,63 para 44,77 milhões de toneladas.  

Soja Mundo

No cenário mundial, os números mudaram tanto para a safra velha quanto para a safra nova. A temporada 2013/14 foi levemente reduzida de 283,95 milhões para 283,13 milhões de toneladas, enquanto os estoques finais caíram de 67,09 para 66,91 milhões de toneladas. Por outro lado, no ciclo 2014/15 o número da produção global passou de 304,69 milhões para 311,13 milhões de toneladas e os estoques finais de 85,62 para 90,17 milhões de toneladas. 

Brasil - Para o Brasil, a safra velha passou de 87,5 milhões para 86,17 milhões de toneladas e os estoques finais foram estimados pelo USDA em 17,23 milhões de toneladas, contra 17,11 milhões do relatório de agosto. Já a nova safra foi reportada em 94 milhões de toneladas, número bem maior do que o do mês passado de 91 milhões. Os estoques finais também foram revisados para cima, passando de 23,51 milhões para 24 milhões de toneladas. 

Argentina - A nova safra de soja da Argentina, por sua vez, foi projetada pelo departamento americano em 55 milhões de toneladas, contra as 54 milhões do reporte anterior. Os estoques finais, no entanto, foram mantidos em 32,23 milhões de toneladas. Para a safra 2013/14 houve uma manutenção dos preços de, respectivamente, 54 milhões de 28,63 milhões de toneladas. 

China - Nos dados da China, a mudança para a temporada 2014/15 veio para os estoques finais - de 13,09 milhões para 13,99 milhões de toneladas - e para as importações, que subiram de 73 milhões para 74 milhões de toneladas. 

USDA Soja - Setembro 2014

Milho EUA

A nova safra de milho dos Estados Unidos foi estimada pelo USDA em 365,65 milhões de sacas, com uma produtividade 181,72 sacas por hectare. No boletim de agosto esses números foram de 356,43 milhões de toneladas e 177,17 sacas, respectivamente. As expectativas médias do mercado eram de uma produção de 363 milhões de toneladas e rendimento de 180,67 sacas por hectare.

Para os estoques finais, o mercado esperava algo em torno de 50,90 milhões de toneladas e o volume reportado pelo departamento norte-americano foi de 50,85 milhões. O uso do cereal para a produção de etanol subiu de 128,91 milhões para 130,18 milhões de toneladas e as exportações passaram, do boletim de agosto a setembro, de 43,82 milhões para 44,45 milhões de toneladas. 

Entre os números da safra 2013/14 pouca modificação. Os estoques foram de 30,01 milhões para 30 milhões de toneladas, o volume para etanol de 130,06 milhões para 130,18 milhões de toneladas. 

Milho Mundo

Sobre a safra global 2014/15, o USDA estimou um aumento de 985,39 milhões para 987,52 milhões de toneladas, com estoques finais subindo de 187,82 milhões para 189,81 milhões de toneladas. Da safra 2013/14, os números ficaram em 986,68 milhões e 173,08 milhões de toneladas, contra 984,37 milhões e 171,09 milhões de toneladas estimadas em agosto. 

Brasil - Para o Brasil, a safra velha passou de 78 milhões para 79,31 milhões de toneladas e os estoques finais foram estimados pelo USDA em 17,75 milhões de toneladas. Já a nova safra foi reportada em 75 milhões de toneladas, número maior do que o do mês passado de 74 milhões. Os estoques finais também foram revisados para cima, passando de 15,75 milhões para 17,05 milhões de toneladas. 

Argentina - A nova safra de milho da Argentina, por sua vez, foi projetada pelo departamento americano em 26 milhões de toneladas, mesmo número do reporte anterior. Os estoques finais, no entanto, caíram de 4,54 milhões para 2,64 milhões de toneladas. Para a safra 2013/14 houve um aumento na estimativa para a produção - de 24 para 25 milhões de toneladas respectivamente, e os estoques finais ficaram em 2,83 milhões de toneladas. 

China - Nos dados da China, por conta da severa seca pela qual passou o país nos últimos meses, a safra nova foi revisada para baixo, passando de 222 milhões para 217 milhões de toneladas. Os estoques finais caíram de 80,36 milhões para 77,36 milhões de toneladas e as importações, por sua vez, se mantiveram em 3 milhões de toneladas. 

USDA Milho - Setembro 2014

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

6 comentários

  • joao hertinger Assis - PR

    Concordo Dalzir. Mas, e quando acontece um choque de aumento de oferta, que é o que está acontecendo lá nos EUA? Vamos ficar nos iludindo que o consumo vai melhorar do dia pra noite, e fazer os precos voltarem para os US$ 13,00/bushel?

    0
  • joao hertinger Assis - PR

    Caro Dalzir, entendo o que vc quer dizer. Todo mundo erra, alguns mais, outros menos. Eu errei feio esse ano, admito. Acreditei no discurso de consumo infinito da China, que os EUA não tem estoque, e perdi dinheiro. O preço da soja desabou. Fato! Acontece, e não culpo ninguém pelas decisões que tomei. Ninguém me obrigou a segurar a soja.

    Mas agora...analista não admitir que errou feio, e jogar a culpa no "mercado que está equivocado", no "USDA que está mentindo", aí é falta de humildade mesmo.

    0
  • joao hertinger Assis - PR

    E pra piorar, tive o cadastro "caçado" (ou seria cassado?) pelo site, por questionar um certo analista queridinho aqui. Tive que me cadastrar de novo para emitir opinião novamente. Lamentável.

    0
  • joao hertinger Assis - PR

    Acho impressionante que, mesmo com todas as evidências mostrando o contrário, existem pessoas que não tem a humildade de reconhecer um erro.

    Mas, ao invés disso, preferem achar que existem teorias da conspiração, que "os outros (USDA e mercado) é que estão errados".

    Custa dizer?: "Olha, pessoal, me desculpem. Eu errei dessa vez. Àqueles que perderam dinheiro pelo que falei, por favor me desculpem. Vou me reciclar, ver onde errei, o que foi que fiz de errado na minha análise, e melhorar"

    Mas isso é esperar demais de quem diz que só errou uma vez nos últimos 16 anos, né?

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    O estupendo estoque de soja mundial estimado pelos USDA, esta todo armazenado dentro de seus computadores e nem mesmo três anos de escassez aguda de soja nos países produtores foram suficiente para desmobilizar aqueles estoques para impedir a escalada dos preços (prêmios). No passado, muitos produtores venderam seus produtos com preços aviltados e muitos deles perderam suas terras acreditando que aqueles estoques gráficos ofereciam uma grande ameaça para os preços da soja. Se o estoque mundial anunciado pelos USDA existisse o preço da soja jamais passaria de us$ 8.00 por bushel.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    A soja da safra mundial de 2013/14 atingirá 311,13 mmt segundo o USDA e que somadas às 66,91 mmt do estoque de 30/09/2013 e descontado o consumo anual de 297,87 mmt, deixará um estoque calculado para 30/09/2014 de 90,17 mmt. É muita soja. Safra brasileira foi reportada como tendo sido de 86,17 mmt com previsão de 94 mmt para 2014/15

    0