USDA: EUA vendem 47% menos soja na semana e números ficam abaixo do esperado

Publicado em 02/05/2019 12:02
2359 exibições
Preços em Chicago intensificam baixas nesta 5ª; de 1º a 30 de abril, futuros recuaram mais de 5%

LOGO nalogo

As vendas semanais de soja e grãos dos EUA, mais uma vez, ficaram abaixo das expectativas do mercado, segundo os últimos números divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) nesta quinta-feira (2). 

Na semana encerrada em 25 de abril, os norte-americanos venderam apenas 313,4 mil toneladas de soja da safra 2018/19, enquanto o mercado esperava algo entre 400 mil e 800 mil toneladas. O volume é 47% menor do que o da semana anterior, além de mostrar uma redução de 61% em relação à média das últimas quatro semanas. 

Apesar de todos os problemas e da guerra comercial ainda em curso, a China respondeu pela maior parte das compras - de apenas 136,4 mil toneladas, no entanto. Ao mesmo tempo, destinos não revelados cancelaram 241,1 mil toneladas. 

Em todo o ano comercial 2018/19, os EUA já comprometeram 45.137,3 milhões de toneladas de soja, número que fica bem distante do registrado no mesmo período do ano passado de 54.770,4 milhões. O programa de exportações dos EUA segue bastante atrasado, os estoques no país muito elevados e o mercado, consequentemente, amplamente pressionado. 

De 1º a 30 de abril, os futuros da soja recuaram 6,03% no contrato maio/19, que fechou o mês com US$ 8,41 por bushel - e 5,91% no agosto/19, com US$ 8,60 no final do último mês. Em relação a 29 de março, as baixas foram de mais de 4%. 

"O mercado agora vive um mercado de excesso de soja, falta de empolgação do mercado financeiro para levantar os preços, mercado na China está frio, os compradores comprando pouco, o clima está indo bem - apesar dos atrasos - e sazonalmente o mercado tende a se comportar em baixa", explica o analista de mercado Marcos Araújo, da Agrinvest Commodities. 

E diante disso, o executivo lembra mais uma vez do papel do mercado nas definições das próximas safras frente a cenários semelhantes ao atual. "O mercado tem essa função de incentivar aumento de área quando falta soja e também de desincentivar plantio de área quando há excesso de produto. E o mercado hoje busca este objetivo de não incentivar o plantio de soja através de preços baixos", diz. 

Milho

Se as vendas de soja estão lentas, as de milho também não estão diferentes e, na última semana, ficaram abaixo do intervalo esperado pelo mercado de 600 mil a 1 milhão de toneladas ao totalizarem 586,5 mil toneladas da safra 2018/19. São 25% a menos do que o volume da semana anterior e 17% mais baixo do que a média das últimas quatro semanas. O Japão foi o principal comprador do cereal americano. 

Na temporada comercial, as vendas americanas somam 46.057,3 milhões de toneladas de milho, contra 50.935,9 milhões do ano anterior, neste mesmo período. O USDA estima que as exportações de milho dos EUA 2018/19 cheguem a 58,42 milhões de toneladas até 31 de agosto, conclusão do presente ano comercial. 

O departamento informou ainda que as vendas da safra 2019/20 foram de 209,5 mil toneladas, com o México como principal destino. 

Trigo

As vendas semanais de trigo dos Estados Unidos foram de somente 122,1 mil toneladas, contra expectativas de 200 mil a 500 mil toneladas. Esse foi o menor valor semanal registrado durante toda a temporada até agora. O total ficou 71% abaixo da semana anterior e 72% em relação à média das últimas quatro semanas. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • evaristo bortoletto Rebouças - PR

    Será que nimguem vê que os americanos nao querem vender barato a soja. Se fosse falta de demanda os premios no Brasil estariam negativos. A midia passa uma informaçao distorcida e os investidores entendem ao contrario pressionando cada vez mais o mercado.

    1