USDA aumenta projeção para exportações de soja do Brasil e importações da China

Publicado em 09/04/2020 13:17 e atualizado em 09/04/2020 15:38 4770 exibições

LOGO nalogo

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) confirmou algumas expectativas do mercado e reduziu a safra de soja do Brasil de 126 para 124,5 milhões de toneladas, ao passo em que aumentou as exportações do país de 77 para 78,5 milhões de toneladas. 

Ainda em seu reporte, o USDA trouxe também um aumento das importações de soja da China de 88 para 89 milhões de toneladas. 

No cenário norte-americano, os estoques finais de soja foram revisados para cima e passaram a 13,06 milhões de toneladas, contra as 11,57 milhões do boletim de março. As exportações dos EUA caíram de 49,67 para 48,31 milhões de toneladas. 

O esmagamento de soja nos EUA, por outro lado, subiu de 57,29 para 57,83 milhões de toneladas. 

Argentina - A safra da Argentina caiu de 54 para 52 milhões de toneladas, como também era esperado pelo mercado, com seus estoques sendo mantidos em 27,89 milhões de toneladas e as exportações em 8,2 milhões. 

Soja Mundo - A produção mundial, portanto, foi revisada para baixo e ficou em 338,08 milhões de toneladas, contra 341,76 milhões estimadas há um mês. Assim, os estoques finais globais passaram de 102,44 para 100,45 milhões de toneladas.  

MILHO 

EUA - O USDA trouxe ainda um considerável aumento dos estoques finais de milho dos EUA de 48,06 para 53,14 milhões de toneladas. A média das expectativas do mercado era de 50,55 milhões de toneladas, em um intervalo de 45,47 a 54,61 milhões de toneladas. 

O uso de milho para a produção de etanol taNo mbém foi reduzido para baixo, passando de 137,8 para 128,28 milhões de toneladas. As importações, por sua vez, foram revisadas para baixo, de 1,27 para 1,14 milhão de toneladas. 

Mundo - A produção mundial de milho subiu de 1.112,01 para 1.113,02 bilhão de toneladas, com os estoques finais subindo de 297,34 para 303,17 milhões de toneladas. 

Ao contrário da baixa esperada, a produção brasileira de milho foi mantida em 101 milhões de toneladas, as exportações em 36 milhões e os estoques finais dem 4,39 milhões de toneladas. 

Para a Argentina, a produção também foi mantida em 50 milhões de toneladas, mas os estoques finais foram revisados de 4,12 para 3,87 milhões de toneladas, e as exportações mantidas em 33,5 milhões de toneladas. 

Tags:
Por:
Carla Mendes| [email protected]
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário