Inovação em produtos e pesquisas, além de facilitação do acesso às novas tecnologias são as estratégias da Basf para apoiar produtor

Publicado em 30/06/2015 16:47 e atualizado em 01/07/2015 12:14
101 exibições
Inovação em produtos e pesquisas, além de facilitação do acesso às novas tecnologias são as estratégias da Basf para apoiar produtor com cenário econômico conturbado

Diante de um cenário econômico desfavorável, uma das empresas líder no ramo de defensivos agrícolas tem apostado na inovação de produtos e pesquisas, para garantir maior produtividade.

Segundo, Francisco Carlos Verza, vice-presidente da Unidade de Proteção de Cultivos da Basf Brasil, no período de 2013 a 2014, houve um aumento de 8% no mercado de defensivos, e os problemas econômicos no ano de 2015 a Basf pretende ampliar seus projetos para auxiliar os produtos com ganho de produtividade.

Desenvolvida pela Basf e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) o Sistema de Produção Cultivance combina cultivares de soja geneticamente modificada, de grande potencial genético, ao uso de herbicidas de amplo espectro para controle de plantas daninhas de folhas largas e gramíneas.

O produto ainda não tem data de lançamento, mas já foi aprovado pelo comércio da União Europeia, e a autorização técnica é considerada importante para o início da comercialização das sementes, uma vez que a União Europeia é comprador da soja brasileira.

O Barter é outro exemplo de inovação, que possibilita a relação de troca diretamente com a empresa. Nesta operação, a BASF fornece uma determinada quantidade de produtos por uma determinada quantidade de produto. Na negociação física o agricultor vende o produto no mercado futuro para uma trading com o auxílio empresa. De acordo com Verza, esse projeto está sendo ampliado para as culturas de café, algodão, etanol e açúcar, além da soja, milho e trigo que já eram atendidas pelo programa.

Outro serviço oferecido é o AgroDetecta, um programa de monitoramento agrometeorológico composto por uma rede de estações, para ocorrência de doenças e previsão do tempo. "Isso dá um subsídio ao agricultor para que ele tome a melhor decisão do momento de aplicar, com isso se reduz os riscos de prejuízo e perdas para o agricultor", explica Verza.

Sistema AgMusa

Um novo conceito de plantio de cana-de-açúcar o AgMusa trata-se do plantio integrado de viveiros de cana, que é desenvolvido a partir de mudas sadias e pré-selecionadas que são cultivadas por máquinas de alta tecnologia em solo já corrigido. O AgMusa promete ao produtor formar canaviais uniformes, com alto potencial produtivo sanidade e rastreabilidade.

Tags:
Por: Aleksander Horta e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário