CNA segue na contramão dos interesses dos produtores e nova nota da entidade gera polêmica nas redes sociais

Publicado em 20/04/2017 16:36
1906 exibições
Produtores preparam mobilização em Brasília a partir de 1º de maio. Na pauta, a cobrança do Funrural
Confira a entrevista com Valdir Edemar Fries

Hoje, a Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) divulgou mais uma nota contraditória aos interesses dos produtores rurais, no que diz respeito ao Fundo de Apoio ao Trabalhador Rural  (Funrural). Os produtores estão questionando muito o posicionamento da entidade, que, na visão de muitos, como o produtor rural Valdir Edemar Fries, de Itambé (PR), tenta minimizar os impactos da cobrança do tributo.

Em sua carta aberta, a CNA "justifica o que já deveria estar fazendo, que é defender os interesses do produtor", como destaca Fries. Ele lembra que, de acordo com a lei, os produtores ainda contribuem com a entidade e, nos últimos dois a três anos, vêm criticando as ações que estão confrontando com os produtores rurais, atendendo os interesses do Governo Federal, a priori.

A carta, intitulada "Funrural: unidade e ação", expõe, em seu segundo item, que a CNA irá oferecer apoio para negociar os passivos. Para Fries, isso é "prova de que a CNA não vem acompanhando o que os produtores vem falando na mídia". Os produtores não aceitam negociar passivos porque "não acreditam que devam esse valor", uma vez que em 2010 o Supremo Tribunal Federal (STF) havia declarado a inconstitucionalidade desse tributo.

Desde o dia 31 de março, quando a constitucionalidade foi aprovada por seis votos a 5 no STF, os produtores vêm trabalhando junto ao Congresso Nacional para alterar as leis e, para isso, já identificam vários caminhos.

"A CNA nunca esteve trabalhando. Nós contribuímos com a CNA e esperávamos que ela estivesse fazendo isso lá, mas ela foi defender o governo e nos abandonou", aponta o produtor. Ele elogia ainda o trabalho da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA) e da Comissão de Agricultura. A partir do momento que os produtores decidiram se mobilizar e ir para Brasília no início de maio, o Congresso Nacional vem auxiliando e uma audiência pública foi marcada no dia 3 de maio em Brasília, às 9h.

Desde o dia 1º de maio, entretanto, os produtores começarão a se reunir em Brasília. A principal pauta é debater e justificar o quanto os produtores rurais serão comprometidos se for recolhido o valor da produção. Fries é um dos produtores que estão tentando colocar em números o prejuízo causado pelo Funrural.

Em relação ao STF, os advogados jurídicos de várias entidades trabalham desde 31 de março buscando todas as alternativas possíveis para reverter o processo. O Congresso Nacional também trabalha em projetos de lei, em especial, o deputado federal Luis Carlos Heinze (PP-RS), com o PL 848/201, a resolução que encontra-se na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal, oriunda da recomendação do STF e a terceira, mais recente, que é o PL 106/2017, de autoria do senador Alvaro Dias, protocolado no Senado Federal no dia 17 de abril, mas os processos caminham de forma mais lenta. Uma das discussões é em torno da cobrança sobre a produção bruta ou sobre a folha de pagamento. A questão do passivo é questionada, mas os produtores não estão abertos a negociar o passivo neste momento.

No arquivo a seguir, veja as justificativas elaboradas por Fries que serão apresentadas para buscar apoio institucional e contrapor os argumentos até então divulgados pela CNA e pela Advocacia Geral da União:

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

6 comentários

  • Angelo Miquelão Filho Apucarana - PR

    Canalhas, bando de parasitas! Há muito já postei aqui o que acho desta quadrilha, destes málacos... Não gostou, engulam!

    0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    A militância politica que faço é abrangente, embora tenha foco nos produtores rurais. E volto nesse comentário, a defender os posicionamentos politicos do Valdir Fries. Liderança amigos, não se exerce com palavras vazias, com criticas sem fundamento, liderança se exerce através da palavra, do discurso coerente e lógico. Mas não falo aqui em lideranças no sentido em que Blairo Maggi é, falo em liderança de alguém que fala nossa linguagem e vocaliza nossas idéias. É apenas uma questão de dizer; com isso e isso eu concordo, acho que é bom por isso e isso e aquilo?.Dizem que Blairo Maggi é um empresário competente,? tenho muitas dúvidas quanto a isso, que o digam as centenas de acusações de corrupção, fraude, malversação do dinheiro público? etc? Na área politica, ele tem no senado um projeto para que os postos instalem máquinas de abastecimento pelo próprio consumidor!!!??? Que raios isso tem a ver com agronegócio? É uma piada ou o que? For a isso, ninguém sabe quais são os posicionamentos do senador, como por exemplo, o que ele pensa sobre a extinção do foro privilegiado? Acho que sabemos a resposta não? Como o partido dele votou a lei de migração? Para encurtar, em como ele vota nas pautas que são caras à esquerda? É disso que Valdir fala, da personalidade dos politicos, que pode ter várias facetas. Não é o caso, mas a nivel de explicação serve? então um politico pode ser contra o funrural e a favor da lei de migração? que indiretamente vai ser muito mais nociva ao agronegócio do que o funrural, este último mais visivel por que o produtor sofre os efeitos diretamente, mas e os projetos que afetam o produtor indiretamente e de forma violenta? Então comparações futebolisticas são coisa de criança perto do que o Valdir fez. Ele leu a nota da C.N.A, ele protestou publicamente e destacou os pontos, ele cobrou posicionamento dos politicos de Brasilia pessoalmente, e organiza os produtores para que militem em cima de uma pauta definida. Muitos podem pensar que não, mas a C.N.A vai sentir o golpe, se não agora, no futuro. É assim que se faz politica, com lideranças apartidárias que vocalizam os anseios da classe produtora e principalmente orientam sobre os projetos e armadilhas existentes pelo caminho. Quero também esclarecer melhor aquilo que disse acima, as lideranças devem estar sob constante vigilancia e isso somos nós quem temos que fazer. A C.N.A chegou nesse ponto por nunca ser questionada em nada. A única solução é a extinção ou a renovação completa dessa instituição, com prestação pública de contas, com a exigencia de que os atuais lideres não possam ocupar nunca mais nenhum cargo de representação dos produtores rurais. E vou além dizendo que politicos como o Blairo Maggi devem ser convidados a se retirar, tanto da politica como da representação agropecuária, para que no setor privado possa demonstrar sua competencia e principalmente, responder pelos inúmeros processos criminais que pesam sobre sua cabeça. Na justiça comum.

    4
  • cesar schmitt Maringá - PR

    Novamente estamos comemorando uma goleada... contra. Quando o Brasil levou de 7 a 1 contra a Alemanha, alguns até comemoraram, pois foi só 7, poderia ter sido 10 ou 12. O sistema sindical está do mesmo jeito. Perdemos 20% de nossas terras para os ambientalistas e o sistema comemorou como uma grande vitória. Um ministro divulga nossos dados do CAR e o sistema manda apenas um oficio protestando. Grande vitória... o ministro continua lá. Somos espezinhados por cartórios e enforcados pela burocracia dos bancos, e o sistema o que faz?... nada. Aliás, fazem reuniões para marcarem novas reuniões e para comemorar nova vitória... do adversário.

    3
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Dá gosto ouvir o Valdir Fries falar, mesmo que discorde dele em relação à FPA e aos deputados Heinze e Jeronimo (dois oportunistas atrás de holofotes e nada mais). Sei que estão, por que acredito no Valdir, tomando medidas favoráveis às justas reinvidicações encampadas por ele, mas não deixo de apontar que são medidas pontuais, e que não aceito o argumento da dificuldade por necessidade de apoiar o governo. Isso é oportunismo barato, cheira ao desespero pelo cargo, pois sempre é possivel lutar politicamente sem ser parlamentar, mas o apelo da "boquinha" e irresistivel à esse tipo de pessoa. Nulidades é o que são. Dito isso quero falar também da indignação que sinto quando vejo que poucas pessoas apoiam o Valdir Fries..., duzentas e poucas visualizações aqui no NA por tudo pelo que ele tem feito, é muito pouco. Esse é o país dos aproveitadores, dos que gostam de chegar em cima do que está pronto, para sair garganteando: "fiz isso e aquilo".... Valdir, quero te parabenizar pela maneira magistral que explicou como o governo empobrece e torna o povo miserável ao tirar recursos do setor produtivo brasileiro. Dinheiro para sustentar as mordomias que amarram tanto Heinze como Goergen ao sistema corrupto, e -- por que não -- assassino... Os extremamente competentes, como o Valdir, os mais ou menos competentes, os poucos competentes e até os incompetentes, que trabalham ganhando ou não, são os que sustentam as mordomias usufruidas pelas nulidades. Espero que todos que lerem esse comentário assistam à entrevista desse nosso valoroso colega Valdir Fries, e aprendam seus fortes argumentos em favor da classe produtora rural. Quanto mais dinheiro na mão do produtor mais crescimento e desenvolvimento, maior a riqueza da Nação.... Valdir, esse é um pequeno gesto de apoio a você, espero que prossiga nessa jornada em que a coroa do sucesso te espera no final da corrida. De minha parte continuo na militancia, para conter a voracidade do governo em cima do dinheiro dos brasileiros, juntos colocaremos freios e contrapesos nesse poder que mata e aniquila os brasileiros. Como o projeto de migração que pretende aumentar ainda mais os gasto governamentais..., de onde vai sair dinheiro para sustentar qualquer um que chegar ao país? Sim, o governo é que precisa ser regulado e não o setor produtivo.

    1
    • FERNANDO ENGLERPALOTINA - PR

      Estamos em um paradoxo... Precisamos de uma decisão política para reverter esta situação que nos prejudica, porém a classe política faz parte do esquema contrário aos nossos interesses...

      1
    • VALDIR EDEMAR FRIESITAMBÉ - PR

      Obrigado pelas palavras descritas RODRIGO POLO PIRES ... O importante é estarmos Juntos, defendendo o setor produtivo... O Governo, a CNA é o STF colocaram uma tropa de bode na sala de cada produtor... E como diz nosso amigo João Batista Olivi... Agora temos, de uma ou de qualquer outra forma espantar os bichos... "Não podemos desistir,, e vamos em frente".

      2
  • Carlos William Nascimento Campo Mourão - PR

    Graças Deus a CNA, federações e sindicatos rurais estão com os dias contados. Estas entidades serão extintas na reforma trabalhista. Conclamo aos produtores rurais a não pagarem, já neste ano, os boletos da "contribuição" sindical. Eu não pagarei. Sobre o Funrural, bastaria a bancada ruralista fazer aquilo no que os deputados são experts: o toma lá, da cá. Ou o governo muda o entendimento sobre o Funrural ou estes deputados não votam á favor da reforma da previdência. Sem esta reforma, o governo Temer acaba. E não precisa de muitos votos. 50 deputados ameaçando votar contra o governo já basta. Será que a bancada ruralista não tem 50 deputados? Lembro que ano que vem tem eleição , e que qualquer medida contra os agricultores estará muito viva na nossa lembrança. Não vai dar tempo de esquecer. Entenderam ou precisa desenhar, nobres congressistas?

    Agora um pouco ironia: "Não falem mal dos sindicatos e federações. Estes heróis (?!) estão nos representando há décadas, assim como as diretorias das cooperativas. Se reelegendo por quase meio século, trabalhando sem parar (?!) pelo bem do agricultor. Assim também como os velhos senadores (que estão se elegendo há tanto tempo, fazendo sacrifícios e pensando única e exclusivamente nos seus eleitores)... Não falem mal dos informativos semanais (das federações e sindicatos), feitos com os melhores papéis e tintas, a um preço altíssimo, para levar alegria com suas anedotas (??!!)... Pensem nestes diretores, muitos octagenários, que se recusam a deixar alguém mais novo assumir os cargos, com pena, claro, destes jovens. (?!!)... Que coisa linda, que preocupação com o próximo (?!!)... Avante vovozinhos!!!"...

    2
    • FERNANDO ENGLERPALOTINA - PR

      Não acredito que isso passe no Congresso, até porque é uma maneira deles manterem o controle sobre as diferentes classes trabalhadoras... Mas eles podem piorar bastante também, se acabarem com as contribuições obrigatórias dos patronais e mantiverem a dos trabalhadores, aí enfraquecerão ainda mais as representações patronais e alterarão o quebra de braço constante entre as classes (quebra de braço este que é ridículo, pois 99,9% dos interesses de patrões e empregados são comuns, porém os representantes focam na diferença e não nas igualdades de interesses, propositadamente, perdendo força na hora de reivindicações)...

      7
    • BETOPALOTINA - PR

      CNA e um.lixo

      0
    • FERNANDO ENGLERPALOTINA - PR

      Talvez eu não tenha me expressado de forma simples acima, mas vamos lá outra vez... Eu também não gosto da CNA, mas a regra para sindicatos tem que ser igual para patrões e empregados, ou é obrigatória para todos ou é facultativa para todos... Se for diferente disso é pior do que está... E se for obrigatório (pois eu duvido que isso seja retirado da lei), basta os Sindicatos Patronais descontentes com seus representantes Estaduais pedirem baixas das Federações Estaduais e criarem um sistema paralelo, depois basta as novas Federações pedirem baixa da CNA e formarem uma Confederação Nacional paralela, que nos representa, que luta por nosso anseios e ideais...

      2
    • EDMEU LEVORATOUBERABA - MG

      Minha convicção é de que ningúem pague a CNA este ano, cujos boletos estão chegando. É preciso que o produtor tenha caráter e apresente seu protesto formalmente, não pagando. É preciso começar uma reação.

      2
    • JOÃO ALVES DA FONSECAPARACATU - MG

      Sr Carlos Nascimento,o sr.disse coisas tão verdadeiras que eu tive o orgulho de repassar a todos meus contatos e grupos de agro no whats up ,penso igualzinho ao senhor,esta CNA não e muito diferente do PT não,a estratégia dela é circo,patrocinar escola de samba,Pelé,fazer filminho da Kátia Abreu e perpetuar lá nos seus gabinetes uma raposada que me dá nojo só de pensar que somos representados por este FDP*,pior ainda,sou obrigado a recolher uma fortuna pra manter os privilégios destes vagabundos ,senão eles me cobram judicialmente e sujam meu nome,,,Na hora de nos defender do FUNRURAL,fica contra nós e muitas outras pelegagem...Vamos à luta,sumir com esta corja do nosso meio,quem topa?...Saudações mineiras,uai!

      0
  • armelindo corte dos reis Enagenheir Bel trão - PR

    Há muito tempo vemos a CNA se acovardando e não representando mais a classe produtora! Mesmo assim nós, produtores rurais, continuamos a pagar a abusada contribuição! Que por sua vez é maior que o valor pago em ITR!

    1