Nova onda de frio chega ao Brasil neste final de semana mas sem riscos para produção. Início de agosto tem novo alerta de frio

Publicado em 14/07/2017 12:36 e atualizado em 14/07/2017 14:11
5857 exibições
Nova plataforma da Climatempo pretende conectar mais de 20 mil estações meteorológicas instaladas nas propriedades rurais em todo o Brasil com objetivo de ampliar base de dados e promover informações personalizadas do clima
Confira a entrevista com Carlos Magno - Presidente da Clima Tempo

Podcast

Confira a entrevista com Carlos Magno - Presidente da Clima Tempo

Download

 

Carlos Magno, presidente da Climatempo, destaca que a massa de ar polar que passa pelos Andes neste momento deve chegar no sul do Brasil no próximo sábado. Bastante intensa, ela deve provocar fortes geadas na Argentina e no Paraguai.

Porém, uma massa de ar seco que se encontra na região Centro-Sul deve bloquear a entrada dessa massa, deslocando-a gradativamente para o Oceano Atlântico a partir da próxima terça-feira, diminuindo a intensidade do frio. Já na quarta-feira, as temperaturas começam a subir.

O Sul do Brasil deverá ter temperaturas em queda com a chegada dessa massa, o que é "natural", como aponta o presidente. Entretanto, o frio não deve chegar até a região Sudeste.

Haverá uma segunda onda de frio no mês de agosto, que deve ser bastante intensa. Ainda no Oceano Pacífico, não é possível prever as consequências dessa onda e de seu deslocamento.

Magno aponta que a meteorologia nacional está evoluindo rapidamente nos últimos anos. No próximo ano, a Climatempo irá completar 30 anos e acompanhou todos os processos de mudança dos modelos e dos dados obtidos.

O Brasil utiliza apenas 500 estações meterológicas, enquanto os Estados Unidos utiliza 25 mil estações. Porém, o Brasil possui 25 mil estações meteorológicas instaladas pelos produtores rurais para que eles possam acompanhar informações necessárias para seu trabalho no campo.

Contudo, essas estações estão isoladas. Assim, a proposta da Climatempo é criar uma metodologia de assimilação e processamento desses dados, disponibilizando a informação da previsão do tempo para esse local, o que deve provocar um aumento na qualidade da previsão do tempo oferecida para o produtor.

Este modelo pode auxiliar os produtores a tomar melhores decisões na hora de realizar o plantio, além de observar a possibilidade de uma continuidade de um bom desenvolvimento vegetativo.

A adesão a essa plataforma pode ser feita no site: www.agroclimapro.com.br

Tags:
Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário