Oeste da Bahia tem a melhor safra da história (e do mundo)

Publicado em 25/04/2018 16:59
17204 exibições
Reportagem - Clima ajudou, mas os solos construídos elevaram a produtividade da soja e do algodão acima da média histórica

Head - Construtores de solos 2018

Podcast

Oeste da Bahia tem a melhor safra da história (e do mundo)

Download

 

LOGO nalogo

Nesta safra, o Oeste da Bahia deverá colher a maior safra de todos os tempos em área de sequeiro a nível mundial, devido às altas produtividades alcançadas em suas lavouras.

A região foi beneficiada por um clima quase perfeito, com bastante luminosidade e, mesmo com solos mais arenosos e suscetíveis a veranicos, os produtores estão se surpreendendo com produtividades com médias de 60 sacas por hectare.

Eles atribuem este fator à construção dos solos, bem como à cultura do algodão, que foi uma das principais responsáveis por acelerar esse processo.

Acompanhe a reportagem completa no vídeo acima!

Abapa e Embrapa promovem “Encontro de Construtores de Solos do Oeste da Bahia” na próxima quinta-feira (26), em Luís Eduardo Magalhães

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e a Embrapa Solos vão promover na próxima quinta-feira (26), a partir das 8h30, o “Encontro de Construtores de Solos do Oeste da Bahia”, no auditório do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães (SPRLEM). O objetivo é apoiar os produtores rurais do oeste da Bahia a identificar e buscar estratégias para reduzir as perdas de material orgânico do solo. O evento, que terá transmissão ao vivo pelo site Notícias Agrícolas, trará em sua programação os pesquisadores Pedro Luiz de Freitas e Paulo Cézar Teixeira, da Embrapa Solos, que vão discorrer sobre os temas: “Manejo e conservação da água e do solo” e a “Construção da fertilidade do solo em grande culturas com ênfase na adubação potássica”.

Com uma produção de grãos em uma extensão de 2,2 milhões de hectares em todo o oeste da Bahia, o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, considera que existe uma preocupação crescente dos agricultores da região com a perda dos nutrientes do solo que prejudicam o cultivo da produção agrícola. “No período das chuvas, ocorre muito carreamento de sedimentos sólidos principalmente no leito das estradas vicinais e solos cultivados, principalmente nas regiões que antecedem os vales por terem uma declividade elevada e um solo com baixa infiltração, causando o assoreamento do leito de nossos rios”, afirma.

“Com este encontro, queremos reunir todos os produtores, seja do cerrado ou do vale, para buscar soluções viáveis para diminuir este problema e permitir que cada vez mais possamos produzir com sustentabilidade, mas para isto a participação de todos os produtores é fundamental”, complementa. Os agricultores da região, por meio da Abapa, por exemplo, vem investindo R$ 30 milhões para a recuperação de estradas da região e protegendo os solos e os rios da erosão com a construção de mini-barragens para conter o carreamento do solo com as chuvas.

Para reforçar sobre a importância da proteção dos solos, o Encontro vai abordar, também, o tema “Erosão de solos em sub-bacias hidrográficas do Rio Grande”, que será ministrado pelo geógrafo e professor da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Dr. Ricardo Reis Alves. Já o agrônomo Dr. Júlio César Bogiani, da Embrapa Algodão, vai falar sobre “Construção da fertilidade de solo em algodão”, e o pesquisador Me. Afonso Peche Filho, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), sobre a Fragilização do solo pela mecanização em áreas agrícolas. “Esta é uma oportunidade para produtores rurais, pesquisadores e técnicos agrícolas da região debaterem com especialistas estratégias e técnicas para mitigar as perdas de solo e dos seus nutrientes no oeste da Bahia”, reforça.

Programação do Evento: 

Data: 26/04/2018 (Quinta-feira) – A partir das 8h30

Local: Auditório do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães (SPRLem). Rua Sergipe, 985, Centro, Mimoso 1.

08:30 – Inscrições (Welcome Coffee)

09:00 – Abertura Abapa - Júlio César Busato 

09:10 – Apresentação do Projeto “Construtores de Solo” – João Batista Olivi (jornalista e diretor do site Notícias Agrícolas) e Pedro Luiz de Freitas (Pesquisador - Manejo e Conservação do Solo e da Água, Embrapa Solos) 

09:40 – Ricardo Reis Alves -  Professor da Univ. Fed. do Oeste da Bahia - Geógrafo, Doutor em Geografia
(Erosão de Solos em Sub-bacias Hidrográficas do Rio Grande: inventariação, impactos, determinação dos riscos e mitigação de processos)

10:00 – Paulo César Teixeira - Pesquisador em Fertilidade do Solo e Fertilizantes - Embrapa Solos; 
(Construção da fertilidade de solo em grandes culturas com ênfase na adubação potássica)

10:30 – Júlio César Bogiani - Engenheiro Agrônomo - D. Sc. - Pesquisador da Embrapa Algodão – Fitotecnia Núcleo do Cerrado (Construção da fertilidade de solo em algodão)

11:00 – Afonso Peche Filho - Professor Me., Pesquisador científico no Instituto Agronômico de Campinas - IAC
(Fragilização do solo pela mecanização em áreas tropicais)

11:45 – DEBATE

12:30 – ENCERRAMENTO

Tags:
Por: João Batista Olivi
Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • CARLOS ALBERTO DE OLIVEIRA Foz do Iguaçu - PR

    PRODUTOR DE GUARAPUAVA (PR) BATE RECORDE NACIONAL DE PRODUÇÃO DE SOJA -- Com 149,08 sacas por hectare Marcos Seitz é o novo campeão do Desafio de Máxima produtividade do CESB... O produtor Marcos Seitz, de Guarapuava (PR), é o campeão do Desafio de Máxima Produtividade 2016/2017 realizado pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB). Além disso, o paranaense registrou o novo recorde nacional de produção de soja ao estabelecer 149,08 sacas por hectare (sc/ha). O recorde anterior era de 141,8 sc/ha, registrado na safra 2014/2015. Os números representam quase o triplo da média nacional de produção de soja. O anuncio do vencedor aconteceu nesta terça-feira (13), na cidade de Passo Fundo (RS).
    Esta foi a quarta participação consecutiva de Marcos Seitz no Desafio, e a segunda vez que conquistou o título. Na safra 2012/2013 ele registrou a produção de 110,5 sc/ha para ser o campeão. Naquela ocasião ele também registrou o novo recorde nacional.

    Neste ano o CESB recebeu mais de 5 mil inscrições de produtores rurais interessados em produzir mais soja, na mesma área de plantio. O número é 12% maior do que o registrado no ano passado. "O recorde de adesões representa a importância que as pesquisas, novas tecnologias e o uso da sustentabilidade no campo adquirem no dia a dia do produtor de soja", explica o presidente do comitê Nery Ribas.

    O evento de premiação também coroou os campeões de produtividade nas demais regiões do país. Na região sudeste o campeão foi José Renato Nunes da cidade de Capão Bonito (SP), com 108,26 sc/ha. Nas regiões norte e nordeste quem venceu o Desafio foi Leandro Ficagna de Luis Eduardo Magalhães (BA), com 95,76 sc/ha. Na região centro-oeste o produtor Elton Zanella registrou na cidade de Campos de Julio (MT), a produção de 122,20 sc/ha, a segunda maior marca na safra 2016/2017.

    Plataforma de conhecimento

    Nos próximos anos o CESB pretende contribuir e influenciar ainda mais no aumento da produtividade. Para isso iniciou o desenvolvimento de uma plataforma para disseminar a alta produtividade, com sustentabilidade e rentabilidade dos campeões do Desafio. "O produtor sabe que o campo apresenta riscos e desafios. O nosso comprometimento é ajudá-lo a caminhar pela trilha da alta produtividade", explica Nery.

    1
    • SERGIO AQUILES BELLOTTOPALMITAL - SP

      Deveriam ter divulgado o custo por hectare.deveriam fazer um concurso não de maior produtividade e sim de maior lucratividade. produzir mais com menos

      1
  • GUILHERME SORIA BASTOS FILHO São Paulo - SP

    João Batista, só para lembrar que a média do Paraná ano passado (safra 2016/2017), segundo o DERAL, foi de 3.762 kg/hectare.

    1