Após seca 2018, canavicultura deve ver na irrigação a “resiliência aos extremos climáticos”; menos de 10% da área não adianta

Publicado em 24/09/2018 14:11 557 exibições
Fernando Tangerino - Professor da UNESP Ilha Solteira
Também teve a maior crise hídrica da história, 2014/2015, que se junta a maior seca em 30 anos em SP, como fator que deveria ajudar a quebrar o conservadorismo do setor de sair da "cultura do sequeiro". Por ser cultura extensiva, o custo naturalmente é considerável, "mas se paga".

Podcast

Entrevista com Fernando Tangerino - Professor da UNESP Ilha Solteira

Download

 

Tags:
Por:
Giovanni Lorenzon
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário