A poucos dias do início da safra de verão, compra de insumos para o algodão segue atrasada e plantio de soja pode crescer

Publicado em 09/08/2019 13:21 e atualizado em 09/08/2019 15:47
630 exibições
Congresso da Andav começa na próxima segunda-feira com objetivo de orientar sobre os próximos passos do setor na Agricultura Digital
Antonio Henrique Botelho Lima - Presidente do Conselho Diretor da ANDAV

Podcast

Entrevista com Antonio Henrique Botelho Lima - Presidente do Conselho Diretor da ANDAV sobre o Congresso da Andav

Download

LOGO nalogo

Entre os dias 12 e 14 de agosto ocorre à nona edição do Congresso ANDAV – Fórum & Exposição, na qual o evento é considerado o maior encontro da distribuição de insumos agropecuários do mundo e oferece ao agricultor as principais tendências e desafios do segmento.

O Presidente do Conselho Diretor da ANDAV, Antonio Henrique Botelho Lima, destaca que nesta edição tem como proposta discutir diversos temas e abordar a agricultura digital no agronegócio. “As novas tecnologias no agronegócio vão ser o tema principal e as mudanças que tem provocado no setor. Além disso, as inovações têm como finalidade proporcionar mais produtividade ao produtor”, ressalta.

O evento vai reunir diversos especialistas que vão palestras a respeito de temas estratégicos e sobre as melhores práticas de manejo. Para este ano, a expectativa é que receba um publico de 5 mil pessoas, contando com profissionais, expositores, congressistas e visitantes.

Com relação à próxima safra, Botelho destaca que os produtores rurais estão aguardando as chuvas para iniciar a temporada 2019/20. “O maior desafio é com a logística e neste ano as compras dos insumos foram feitas antecipadamente para não ter atrasos na entrega”, diz.

No caso do algodão, as compras dos insumos estão atrasadas nesta temporada devido às referências. Diante desse cenário, a área cultivada com a soja pode aumentar nesta ano. “A soja é a cultura carro chefe do Brasil e os produtores rurais acabam investindo um pouco mais. Pode ser que ganhe algum incremento em cima da área de algodão que está atrasada”, conclui.

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário