Talhões construídos conservam umidade, mesmo debaixo de 40 dias de estiagem...

Publicado em 23/08/2019 12:23 e atualizado em 23/08/2019 19:23
2164 exibições
Bastaram 3 enxadadas para comprovar que a braquiária devolve umidade para o solo compactado... é a revolução dos solos construídos no sul do MS
Reportagem de João Batista Olivi em Naviraí-MS

Podcast

Talhões construídos conservam umidade, mesmo debaixo de 40 dias de estiagem...

Download

LOGO nalogo

Em Naviraí/MS, o jornalista João Batista Olivi conferiu um projeto idealizado pela Copasul (Cooperativa Agrícola Sul-Matogrossense) que visa reestruturar os solos da região. Para isso, foi implementada a braquiária, planta que possui um intenso sistema radicular que atua na reestruturação física, química e biológica do solo, ciclando nutrientes das camadas mais profundas, rompendo a camada de compactação e repondo matéria orgânica.

Acompanhado por João Dantas, especialista no manejo de solos, e Anderson Guido, gerente do departamento técnico da Copasul, João Batista esteve em um talhão aonde a safrinha foi substituída por braquiária. Apesar da compactação superficial do solo, foi verificado que em 20 cm de profundidade já se percebe que houve retenção de umidade, mesmo após 40 dias sem chuva na região.

Com o perfil físico do solo demonstrando a eficiência do manejo, a expectativa é que a próxima safra de soja tenha uma boa produtividade.

Veja também: Sul do MS mexe nos solos para evitar colheitas de milho com baixa produtividade

Tags:
Por: João Batista Olivi e Ericson Cunha
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário