Aprosojas apoiam Bolsonaro sem nenhuma condição. "A favor das reformas", diz Gustavo Chavaglia, de SP

Publicado em 24/04/2020 13:49 e atualizado em 24/04/2020 16:27 2143 exibições
Gustavo Chavaglia - Presidente Aprosoja SP
Entrevista com Gustavo Chavaglia - Presidente Aprosoja SP

Podcast

Aprosojas apoiam Bolsonaro

Download

LOGO nalogo

Nesta quinta-feira (23), a Associação Brasileira dos Produtores de Soja  (Aprosoja) divulgou um manifesto em apoio ao governo do Presidente Jair Bolsonaro. O presidente da Aprosoja em São Paulo, Gustavo Chavaglia, destaca que a contribuição como entidade é de sugerir, contribuir e colaborar com o atual governo. 

O manifesto ao Presidente Bolsonaro feita pela a entidade mostra o apoio  anterior às eleições presidenciais e os avanços do governo. “O setor apoia o conjunto do governo como os ministros que estamos analisando com bons olhos, pois o governo está trabalhando para solucionar os gargalos”, comenta. 

A maioria dos produtores rurais estão apoiando as medidas tomadas pelo o atual governo. Chavaglia ressalta que o governo não pode perder o foco das mudanças, pois acaba abrindo oportunidade para críticas. “Eu acredito que o País precisa de um rumo e uma coisa que o produtor precisa ter é posicionamento. Ficar em cima de muro para ver o que vai acontecer, não dá”, diz a liderança.

Confira o manifesto publica nesta quinta-feira (23) pela a Aprosoja Brasil

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), legítima representante de mais de 240 mil agricultores em 16 associadas estaduais (Aprosojas Amapá, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Piauí, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins) vem a público manifestar seu apoio ao governo do presidente Jair Messias Bolsonaro, refletindo aquilo que é o pensamento dos produtores rurais do país.

Esse apoio é anterior às eleições presidenciais, quando o então candidato Jair Bolsonaro demonstrou compreensão com a elevada importância do setor primário e assumiu publicamente o compromisso de valorizá-lo no seu papel de grande responsável pela geração de divisas e empregos diretos e indiretos que ao longo dos anos transformou um país importador em um dos maiores exportador de alimentos do mundo.

E neste momento, em que o Brasil e o mundo atravessam uma das suas maiores crises, com impactos profundos, a única forma de enfrenta-la é por meio da união em torno de um projeto de retomada do crescimento e fazendo as reformas legais que o país precisa para se modernizar. O Governo Federal tem feito a sua parte e enviado para o Congresso Nacional as medidas e reformas necessárias.

Contudo, o debate em torno das reformas no Congresso tem sido claramente contaminado com discussões e divergências políticas, protelando decisões e prejudicando o seu andamento. Neste contexto, o papel dos presidentes das Casas é determinante no resultado final, para o bem e para o mal.

Assim como o presidente da república foi eleito pela maioria dos brasileiros de forma democrática por meio do voto, as reformas importantes para o país precisam sair da discussão e serem votadas, com a aprovação que a maioria da população precisa e deseja.

Por isso, conclamamos as lideranças do Congresso Nacional a deixar de lado as diferenças políticas e trabalharem as divergências de pensamento na direção de consensos, mas sempre para atingir o objetivo do que for melhor para o Brasil, ouvindo as posições da sociedade.

O setor agrícola brasileiro está sendo e será protagonista nas ações concretas para atenuar os efeitos da crise, recuperar a economia e postos de trabalho e tirar o Brasil da crise pós COVID-19. O agro seguirá atuando através da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), com organização e ordem para o progresso do país.

Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário