Entenda como age a bactéria selecionada pela Basf para ser o primeiro Biofungicida para horticultura

Publicado em 28/07/2020 12:27 e atualizado em 28/07/2020 15:22 1439 exibições
Pedro Mendonça - Desenvolvimento Técnico de Produtos da BASF
Mais uma ação para apoiar o produtor rural na busca pela sustentabilidade do setor

Podcast

Entrevista com Pedro Mendonça - Desenvolvimento Técnico de Produtos da BASF sobre a Basf lança o primeiro Biofungicida

Download
A BASF traz ao mercado brasileiro um novo fungicida e bactericida biológico com ampla recomendação para uso em frutas e hortaliças. Duravel® é indicado para o controle de doenças em cultivos como tomate, uva, batata, maçã, entre outros. Por ser uma solução biológica, Duravel® marca a entrada da BASF no mercado de biofungicidas e permite uma janela de aplicação mais flexível e próximo da colheita.

A nova tecnologia integra o portfólio de soluções da BASF para hortifruti e pode ser usada em rotação ou alternada com outros fungicidas, contribuindo para o manejo integrado e eficiente de doenças. Duravel® também é indicado para produções orgânicas de alimentos.

Manejo de resistência

O bioinsumo é importante para o combate e manejo de resistência de doenças de difícil controle. Produzido a partir da bactéria Bacillus amyloliquefaciens, Duravel® possui múltiplos modos de ação. Com maior concentração de agentes biológicos, a solução é altamente eficiente no controle de fungos e bactérias.

A novidade é voltada para a durabilidade do manejo, com visão de longo prazo do sistema produtivo. "As soluções biológicas são importantes ferramentas no combate de resistência e oferecem um manejo sustentável ao longo dos anos. Isto está relacionado com o conceito de durabilidade, pela longevidade do tratamento com o biofungicida e bactericida", explica Rodrigo Pifano, gerente de Marketing de Hortifruti da BASF no Brasil.

A solução forma uma proteção nas superfícies das plantas impedindo a colonização de importantes doenças. Os principais alvos de doenças de raízes e foliares são:

• Mancha-bacteriana no cultivo de tomate;

• Rizoctoniose no cultivo de batata;

• Podridrão-olho-de-boi no cultivo de maçã;

• Mofo-cinzento (Botrytis) no cultivo de uva.

"A BASF investe anualmente cerca de € 900 milhões em pesquisa e desenvolvimento de novas soluções para agricultura, com foco no legado dos agricultores. O sistema produtivo de frutas e hortaliças é de extrema importância no Brasil e é pensando nas necessidades dos agricultores que desenvolvemos tecnologias que proporcionam lavouras cada vez mais produtivas e sustentáveis", afirma Eduardo Novaes, diretor de Marketing da Divisão de Soluções para Agricultura da BASF no Brasil.
 

Por:
Aleksander Horta
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário