Bolsonaro vira CPI da Covid e o alvo agora passa a ser governadores e prefeitos, ladrões do Covidão

Publicado em 12/04/2021 15:18 e atualizado em 12/04/2021 15:58 2758 exibições
Tempo & Dinheiro - Com João Batista Olivi
Edição do Tempo&Dinheiro desta 2a.feira, 12/abril/21, com João Batista Olivi

Bolsonaro chama Randolfe de “bosta” e fala em “sair na porrada” com o senador

Kajuru divulgou novo trecho de ligação; Senador disse que avisou da gravação (Poder360)

Em novo trecho de ligação entre o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e o presidente Jair Bolsonaro, o chefe de Estado chama o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) de “bosta” e que teria de “sair na porrada” com o congressista.

Kajuru, que já havia divulgado trecho da conversa em que Bolsonaro pressiona por mudanças na CPI, mostrou nesta 2ª feira (12.abr.2021) a nova fala em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Eis a íntegra da entrevista (46min24s):

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso determinou, na 5ª feira (8.abr), que o Senado instale uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia.

Barroso concedeu liminar (decisão provisória) em ação movida justamente pelos senadores Alessandro Vieira e Jorge Kajuru, ambos do Cidadania. Eis a íntegra da decisão (204 KB).

ideia da criação da comissão foi do senador Randolfe Rodrigues. Inicialmente, o objetivo proposto para a CPI era de investigar apenas as omissões do governo federal no combate à pandemia.

Na entrevista, Kajuru disse que avisou a Bolsonaro de que a conversa estava sendo gravada. Segundo ele, o trecho que tratava de Randolfe foi ocultado na 1ª divulgação por respeito ao colega.

“Eu não tinha divulgado essa parte para preservar um colega senador. Era desnecessário, na minha opinião. De graça. Tem inimizade entre eles? Tem, Randolfe é líder da oposição. Mas eu achei que o melhor para os dois era essa parte não ser colocada. Não tinha nada a ver. Era um desabafo. Mas ele quis o restante, então coloquei. Pronto, acabou.”

Já o presidente disse não saber que estava sendo gravado. Bolsonaro criticou nesta 2ª feira (12.abr) o senador por ter registrado e divulgado a conversa entre os 2. Bolsonaro afirmou também que Kajuru não publicou todo o diálogo.

“Eu fui gravado em uma conversa telefônica, tá certo. Olha a que ponto chegamos no Brasil”, criticou o presidente em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

“A gravação é só com autorização judicial. Gravar o presidente e divulgar? Só para controle, falei mais coisas naquela conversa lá. Pode divulgar tudo da minha parte.”

Em certo momento da conversa divulgada inicialmente, Bolsonaro diz temer um relatório “sacana” da CPI da Covid, que deve ser instalada nesta 3ª feira. Depois, pressionou o senador Kajuru a ingressar com pedidos de impeachment contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

CPI da covid-19 no Senado ganha mais duas adesões e chega a 34 assinaturas

Chico Rodrigues e Flávio Arns assinam; Instalação de CPI já é dada como certa (Poder360)

Os senadores Chico Rodrigues (DEM-RR) e Flávio Arns (Podemos-PR) incluíram seus nomes entre os apoiadores da CPI da Covid no Senado

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que vai apurar eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia covid-19 no Senado ganhou mais duas assinaturas na manhã desta 2ª feira (12.abr.2021).

Os senadores Chico Rodrigues (DEM-RR) e Flávio Arns (Podemos-PR) incluíram seus nomes entre os congressistas favoráveis à abertura da comissão. Com mais duas assinaturas, a lista de senadores que apoiam a CPI chegou a 34.

Rodrigues ficou afastado do Senado por quase 5 meses em licença depois das reações negativas à notícia de que a PF (Polícia Federal) encontrou dinheiro na cueca dele. Ele reassumiu o mandato em fevereiro.

Arns mudou de partido no ano passado. Ele deixou a Rede, mesmo partido de Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento para abertura da comissão, e passou a integrar o Podemos.

Nesta 2ª feira (12.abr), Randolfe comemorou as novas adesões no Twitter. “Cumprimento os senadores por se juntarem à nossa luta em defesa da vida do povo brasileiro”, disse

requerimento de criação da CPI da covid-19 deve ser lido na 3ª feira (13.abr.2021) no plenário do Senado. Governo e oposição já dão a instalação da comissão como certa.

Eis a lista de senadores que apoiam a iniciativa:

  • Randolfe Rodrigues (Rede-AP);

  • Jean Paul Prates (PT-RN);

  • Alessandro Vieira (Cidadania-SE);

  • Jorge Kajuru (Cidadania-GO);

  • Fabiano Contarato (Rede-ES);

  • Alvaro Dias (Podemos-PR);

  • Mara Gabrilli (PSDB-SP);

  • Plínio Valério (PSDB-AM);

  • Reguffe (Podemos-DF);

  • Leila Barros (PSB-DF);

  • Humberto Costa (PT-PE);

  • Cid Gomes (PDT-CE);

  • Eliziane Gama (Cidadania-MA);

  • Omar Aziz (PSD-AM);

  • Paulo Paim (PT-RS);

  • Rose de Freitas (MDB-ES);

  • José Serra (PSDB-SP);

  • Weverton Rocha (PDT-MA);

  • Simone Tebet (MDB-MS);

  • Tasso Jereissati (PSDB-CE);

  • Oriovisto Guimarães (Podemos-PR);

  • Jarbas Vasconcelos (MDB-PE);

  • Rogério Carvalho (PT-SE);

  • Otto Alencar (PSD-BA);

  • Renan Calheiros (MDB-AL);

  • Eduardo Braga (MDB-AM);

  • Rodrigo Cunha (PSDB-AL);

  • Lasier Martins (Podemos-RS);

  • Zenaide Maia (Pros-RN);

  • Paulo Rocha (PT-PA);

  • Styvenson Valentim (Podemos-RN);

  • Acir Gurgacz (PDT-RO);

  • Chico Rodrigues (DEM-RR);

  • Flávio Arns (Rede-PR)

  • Chico Rodrigues (DEM-RR)

  • Flávio Arns (Podemos-PR).

ENTENDA A CPI DA COVID-19

Na última 5ª feira (8.abr), o ministro Luís Roberto Barroso determinou que o Senado instale a CPI. O presidente da Corte, ministro Luiz Fux, marcou para 14h da próxima 4ª feira (14.abr) o julgamento sobre a instalação da comissão. A sessão do plenário será virtual.

Não se sabe o que o Supremo fará, mas a ideia debatida com o Senado foi minimizar a sensação de que interferem na Casa, mas sem deixar Barroso exposto. Entre as opções aventadas estão:

  • perda de objeto – com a instalação da CPI na 3ª, não haveria o que ser analisado pelo plenário do Tribunal. A Corte sairia de cena, sem se meter em assuntos considerados do Senado;
  • restrição ao funcionamento – os ministros podem decidir que a CPI só poderá ter reuniões passado o atual estágio da pandemia. Atenderiam aos interesses dos senadores contrários à investigação.

Mesmo com a instalação da CPI, governistas ainda não acreditam completamente no funcionamento do colegiado. Senadores que apoiam o governo disseram que tentariam retirar assinaturas do requerimento antes que fosse lido, mas o movimento não deve ganhar força. São necessários ao menos 27 nomes para o documento ter validade. O requerimento tem 32.

Articuladores do governo na Casa dizem que a pandemia deve pesar e que a CPI pode ficar suspensa até uma melhora do quadro pandêmico. O Brasil ultrapassou no sábado (10.abr) a marca de 350 mil mortos pela covid-19.

Já a oposição quer que sejam feitas reuniões presenciais e virtuais. A ideia do grupo é minar as possíveis “desculpas” dadas pelo governo para que o colegiado não funcione.

A comissão deverá investigar falhas de governos em todos os níveis (federal, estaduais e municipais). O presidente Jair Bolsonaro pediu nos últimos dias que governadores e prefeitos fossem incluídos.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) pediu a ampliação das investigações justamente para acabar com essa narrativa de que os governadores e prefeitos não seriam investigados pelo colegiado segundo disse ao Poder360.

Ele enfatizou à reportagem que não tratou do tema com Bolsonaro. O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), por outro lado, divulgou conversa com o presidente por telefone. Disse que “não abre mão” de ouvir governadores.

O presidente cobrou na conversa compartilhada pelo senador no domingo (11.abr.2021) pressão para que o STF também determine a análise de pedidos de impeachment de ministros da Corte. A conversa, segundo o senador, foi no sábado (11.abr).

Em certo momento da conversa, Bolsonaro diz temer um relatório “sacana” da CPI. “Tem que mudar a amplitude dela [da comissão]. Se não mudar, a CPI vai simplesmente ouvir o Pazuello [ex-ministro da Saúde], ouvir gente nossa para fazer um relatório sacana”.

Bolsonaro tem criticado o objetivo da comissão, que é investigar omissões do governo federal. Para ele, é preciso ampliar a atuação do colegiado.

Em conversa com senador, Bolsonaro pede CPI da Covid ampla e diz temer "relatório sacana"

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro disse em conversa telefônica com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), divulgada pelo parlamentar, que uma CPI da Covid precisa investigar governadores e prefeitos e disse temer um "relatório sacana" da comissão caso a apuração se concentre apenas no governo federal.

No diálogo, Kajuru, que divulgou a conversa em suas redes sociais no domingo, afirma concordar com o presidente e diz que trabalhará para ampliar o escopo da Comissão Parlamentar de Inquérito.

Ele é parabenizado por Bolsonaro ao afirmar que entrou no Supremo Tribunal Federal para obrigar o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) a dar andamento ao pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

"Olha só, o que você tem que fazer. Tem que mudar o objetivo da CPI, tem que ser ampla. Daí você vai fazer um excelente trabalho para o Brasil", afirma Bolsonaro a Kajuru na conversa, cujo áudio foi divulgado pelo parlamentar.

"Se mudar (o objeto da CPI), dez para você, porque nós não temos nada a esconder", disse. "Se não mudar, a CPI vai simplesmente ouvir o (ex-ministro da Saúde Eduardo) Pazuello, ouvir gente nossa para fazer um relatório sacana."

No sábado, antes da divulgação da conversa entre Kajuru e Bolsonaro, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou no Twitter que protocolou pedido para que a CPI, cuja abertura foi determinada em decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, também investigue a gestão da pandemia por prefeitos e governadores.

Na conversa com Kajuru, Bolsonaro diz que ele e o senador estão "100% afinados", ao ouvir o parlamentar reclamar que ele "generalizou" ao criticar publicamente o escopo d CPI.

"Kajuru, depois que nós conversamos aqui, nós estamos afinados. Nós dois. É CPI ampla e investigar ministro do Supremo, ponto final. Dez para você", afirma Bolsonaro na conversa.

O presidente atacou Barroso na semana passada depois de o ministro atender a pedido de Kajuru e Vieira para obrigar Pacheco a abrir a CPI. Bolsonaro acusou o ministro do Supremo de fazer "politicalha" com a oposição no Senado e disse que a CPI visava apenas desgastar seu governo ao concentrar as investigações em eventuais omissões do governo federal na gestão da pandemia.

Também em suas redes sociais, Kajuru confirmou o teor de uma matéria do jornal O Estado de S. Paulo na qual ele afirma que avisou Bolsonaro que publicaria a gravação da conversa 20 minutos antes de colocá-la em suas redes.

"Kajuru, se não mudar o objetivo da CPI, ela vai vir só para cima de mim", disse Bolsonaro na conversa com o senador.

"Tem que mudar para colocar governadores e prefeitos. Presidente da República, governadores e prefeitos", acrescenta o presidente.

Procurado, o Palácio do Planalto não respondeu imediatamente a um pedido por comentários.

Pandemia de coronavírus "está longe de terminar", diz chefe da OMS

LOGO REUTERS

GENEBRA (Reuters) - Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode ser controlada em meses com a adoção de medidas de saúde pública comprovadas, disse o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, nesta segunda-feira.

Até agora, cerca de 780 milhões de vacinas já foram administradas globalmente, mas medidas como o uso de máscaras e a manutenção do distanciamento físico precisam ser aplicadas para reverter a trajetória da pandemia.

"Nós também queremos ver sociedades e economias reabrindo, e viagens e comércio recomeçando", disse Tedros em uma coletiva de imprensa. "Mas, neste momento, unidades de tratamento intensivo de muitos países estão sobrecarregadas e pessoas estão morrendo -- e isto é totalmente evitável", acrescentou.

"A pandemia de Covid-19 está muito longe de terminar. Mas temos muitos motivos para otimismo. O declínio de casos e mortes durante os dois primeiros meses do ano mostra que este vírus e suas variantes podem ser detidos", acrescentou.

Segundo ele, a transmissão está sendo impulsionada pela "confusão, negligência e inconstância nas medidas de saúde pública".

A Índia superou o Brasil e se tornou a nação com o segundo número mais alto de infecções do mundo, só ficando atrás dos Estados Unidos, agora que enfrenta uma segunda onda gigantesca, tendo dado cerca de 105 milhões de doses de vacina para uma população de 1,4 bilhão de habitantes.

Índia ultrapassa Brasil como 2º país com mais casos de Covid-19 no mundo

LOGO REUTERS

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia registrou um recorde de 168.912 infecções pela Covid-19 em um dia, mostraram dados do Ministério da Saúde do país nesta segunda-feira, que colocam a Índia como segundo país do mundo com maior número de casos da doença, ultrapassando o Brasil e ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

O total de casos registrados na Índia chegou a 13,53 milhões, ultrapassando os 13,48 milhões registrados no Brasil, de acordo com dados compilados pela Reuters e divulgados pelo Ministério da Saúde brasileiro. Os EUA lideram o ranking dos países com maior número de casos com 31,2 milhões de infecções.

A Índia no entanto, é o quinto país em número de mortos pela Covid-19, atrás de EUA, Brasil, Rússia e México. O país registrou 170.179 óbitos causados pela doença, enquanto o Brasil soma 353.137.

México enfrenta desafio de recuperação econômica heterogênea, diz presidente do BC

LOGO REUTERS

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O México enfrenta um "novo desafio" já que diferentes partes de sua economia irão se recuperar sob ritmos variados, com setores dependentes de exportação devendo liderar o percurso, disse o presidente do banco central do país, Alejandro Díaz de León, nesta segunda-feira.

A economia mexicana contraiu 8,5% em 2020, na recessão mais profunda em quase 90 anos, devido à devastação da pandemia da Covid-19. No entanto, a economia recuperou-se mais rápido do que inicialmente projetado no último trimestre de 2020.

"O novo desafio é que a atividade econômica e a recuperação serão heterogêneas, movidas por dois motores. O motor das vacinas... e o motor dos gastos fiscais que diferentes economias implementaram", disse Díaz de León.

O robusto pacote de alívio pandêmico de 1,9 trilhão de dólares nos Estados Unidos, principal parceiro comercial do México, provavelmente ajudará a impulsionar a recuperação da economia mexicana.

No ano passado, o componente mais importante para a recuperação da atividade econômica no México foi a demanda externa e o setor exportador, bem acima do consumo e do investimento, disse Díaz de León.

"E projetamos que este importante programa de gastos e estímulos nos Estados Unidos ajudará a demanda externa a continuar a desempenhar um papel importante" na recuperação econômica do México, acrescentou.

Governo eleva projeção do valor da produção agropecuária brasileira a R$ 1,057 tri em 2021

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) -O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil deve atingir um recorde de 1,057 trilhão de reais em 2021, alta de 12,4% na comparação anual, informou nesta segunda-feira o Ministério da Agricultura, ao elevar ligeiramente sua projeção ante o montante de 1,032 trilhão estimado em março.

As lavouras devem representar 727,7 bilhões de reais e a pecuária 330,1 bilhões, com avanços de respectivos 16,1% e 5,1%, mostrou o levantamento da pasta.

"Nos últimos três anos, soja e milho têm apresentado recordes sucessivos de faturamento. A soma dessas duas atividades resultou num valor (equivalente a) 65,4% do VBP das lavouras", disse a pasta em nota.

Em valores absolutos, a soja deve corresponder a 345,9 bilhões de reais e o milho a 129,9 bilhões.

O ministério disse que a demanda interna e o comportamento dos mercados, dos Estados Unidos e da China, têm sido os principais responsáveis pelo crescimento estimado para o cereal e a oleaginosa.

Na pecuária, o bom desempenho esperado pelo governo se deve aos setores bovino, de frango e leite, que correspondem a 86,2% do valor gerado.

A pasta ainda ressaltou que algodão, arroz, laranja e trigo estão entre os destaques positivos para as lavouras.

"No grupo de 25 produtos analisados no levantamento, 16 apresentam preços recebidos superiores aos do ano passado. Pode-se dizer que, em geral, os produtores têm um ambiente de preços melhor neste ano."

Tags:
Fonte:
Poder360/Ag Brasil/Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário