As soluções biológicas para o agronegócio; Marcelo Prado entrevista Gustavo Herrmann, diretor comercial da Koppert

Publicado em 19/11/2021 07:41 e atualizado em 19/11/2021 14:49 101 exibições
Gustavo Ranzani Herrmann - Diretor Comercial da KOPPERT do Brasil
Gustavo Herrmann detalhou os avanços do mercado de biológicos e a importância do uso de biodefensivos de forma integrada a fim de atingir níveis mais altos de produtividade na lavoura

Os insumos biológicos têm ganhado cada vez mais espaço no agronegócio. Para falar sobre esse assunto, na última quinta-feira (18), o programa Líderes do Agro teve como convidado o diretor comercial da Koppert do Brasil, Gustavo Herrmann. A empresa holandesa foi fundada em 1967 e mantém desde então um capital fechado, com um modelo de negócio familiar e tem um faturamento previsto para 2021 de 350 milhões de euros.

Como contou Herrmann, a Holanda tem um histórico de produção de vegetais e flores muito grande. Existe até mesmo uma lenda de que a cenoura é laranja devido à interferência genética de produtores do país, com o objetivo de homenagear a família real. Assim, no século XX, começou a existir um problema com ácaros nas lavouras de pepino holandesas. Quanto mais defensivos químicos eram aplicados, mais os aracnídeos aumentavam. Foi então que o o Jan Koppert descobriu, a partir de pesquisar, um ácaro predador. Com ele, foi possível acabar com as pragas nos pepinos e então teve origem a empresa.

Hoje, já são desenvolvidos pela Koppert mais de 80 produtos com macro (insetos e ácaros) e micro-biológicos (bactérias e fungos). Esse mercado tem crescido continuamente, de forma mais acelerada do que o de defensivos químicos, por exemplo. E Herrmann aponta um detalhe de que, antes da pandemia, a maior procura pelos biológicos era com objetivo de enfrentar pragas que começam a se tornar resistentes aos defensivos químicos. Entretanto, agora, ele percebe que existe uma demanda maior com a finalidade de preservação ambiental.

Mas o crescimento da demanda provoca também alguns problemas. Exemplo é as brechas que produtores e empresas menores encontram para produzir biológicos sem licença. Por mais que legislação brasileira seja severa, é possível registrar de maneiras que escapem do controle ambiental do país. Marcelo Prado comparou isso com o mercado de sementes, que demorou certo tempo até encontrar uma legislação adequada.

A entrevista completa pode ser conferia de forma completa no vídeo acima. O programa Líderes do Agro vai ao ar toda a quinta-feira, a partir das 17h30, com o objetivo de transmitir ao produtor rutal as melhores práticas de nomes de sucesso do mercado, para que possa implementar os aprendizados no seu negócio e na sua vida profissional.

Tags:
Por:
Igor Batista

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário