Controle do bicudo exige ação integrada entre produtores, associações e empresas de insumos

Publicado em 31/08/2017 13:09 e atualizado em 31/08/2017 13:39
145 exibições
Ações coletivas e regionalizadas estão sendo adotadas para tornar o controle do bicudo mais eficiente

LOGO nalogo

Luiz Fernando Straioto, gerente de cultivos de algodão e feijão da BASF, destaca que o bicudo é a principal praga do cultivo do algodão e, sendo assim, exige alguns cuidados especiais por parte dos produtores no pré-plantio e também na pós-colheita.

Em uma pré-safra, ele aconselha os produtores a colocarem armadilhas para identificar a quantidade de bicudo em potencial, realizando também o manejo integrado de pragas do bicudo até o momento de transformar os fardos de algodão.

O controle deixa algumas lacunas que não podem ser descuidadas. Se não controlado, o bicudo pode causar alta destruição do cultivo. Ele exige cerca de 15 aplicações, mas pode chegar a mais do que isso em algumas safras. O controle também deve ser efetivo em toda uma microrregião.

Os produtores estão animados com a atual safra de algodão, que trouxe altas produtividades e uma boa qualidade de fibra. Para a próxima safra, prevê-se um aumento de área de 15% a 17%.

 

Tags:
Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário