Safra de algodão na Bahia deve produzir bem e ainda ter rentabilidade, já que 70% foi vendida com bons preços

Publicado em 14/05/2020 11:29 1004 exibições
Júlio Cézar Busato - Presidente da ABAPA
Queda acentuada na cotação do algodão terá impacto para próxima safra, que pode ser 20% menor em área cultivada no oeste baiano

Podcast

Safra de algodão na Bahia deve produzir bem e ainda ter rentabilidade, já que 70% foi vendida com bons preços

Download

LOGO nalogo

A safra de algodão na Bahia enfrentou dificuldades na implementação devido a falta de chuvas em dezembro de 2019. O acumulado no último mês do ano passado foi de apenas 40 mm quando o normal seria ficar entre 180 e 200 mm.

Segundo o presidente da Abapa (Associação Baiana dos Produtores de Algodão), Júlio Cézar Busato, depois deste início complicado, o clima ajudou e a expectativa é de que as colheitas, que devem começar na segunda quinzena de junho, tenham produtividade média de [email protected] por hectare, apenas [email protected] abaixo do recorde estadual.

Olhando para o mercado, Busato destaca que 70% desta safra já havia sido negociada antes das intensas quedas de preços, ainda em patamares entre 72 e 73 centavos de dólar por libra peso.

A liderança aponta que o consumo mundial de algodão caiu 20% em meio a pandemia da Covid-19 e agora os preços estão na casa dos 53 centavos de dólar por libra peso, o que não cobre nem os custos de produção que são de 60 centavos.

O maior impacto desta redução será sentido na próxima safra, que deve ter 20% menos de área cultivada na Bahia.

Confira a íntegra da entrevista com o presidente da Abapa no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário